Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
24/05/2011 - 13h53

Dilma recebe ex-ministros que são contra texto de lei florestal

Publicidade

ANA FLOR
DE BRASÍLIA

Os oito ex-ministros de Meio Ambiente que vieram a Brasília pedir o adiamento da votação na Câmara dos Deputados do novo Código Florestal foram recebidos no final desta manhã (24) pela presidente Dilma Rousseff.

Ao final do encontro, eles declararam que Dilma acredita que o aumento do desmatamento está relacionado "à expectativa de aprovação" do novo Código Florestal. O texto em discussão na Câmara anistia produtores rurais que desmataram no passado.

Relator do Código Florestal critica ex-ministros de Meio Ambiente
Impasse regimental impede votação do Código Florestal, diz Rebelo
Governo cede para votar nova lei florestal nesta terça-feira
Deputados discutem o novo Código Florestal; acompanhe

"A presidente manifestou preocupação com o aumento do desmatamento em 450% no Mato Grosso só com a expectativa de aprovação da lei", afirmou Marina Silva, primeira ministra da pasta no governo Lula (2002-2010).

A vinculação do aumento do desmatamento é negada por governadores das regiões, por ruralistas e também pelo relator do texto na Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

Carlos Minc, que assumiu a pasta depois de Marina, repetiu que Dilma mostrou preocupação com o aumento do desmate e que ela estaria disposta a vetar partes e "até a integralidade" do texto.

Rubens Ricúpero, ministro do Meio Ambiente entre 1993 e 1994, disse que afirmou à presidente que, caso aprovado como o relator propõe, o novo Código será "um grande constrangimento para o Brasil na Rio+20", evento que o país sediará no próximo ano.

"[Aprovar o texto] Dará um argumento extraordinário para países que [defenderão] que a nossa agricultura só é capaz de concorrer por uma razão desleal, por atentar contra a biodiversidade", comentou Ricupero.

Paulo Nogueira Neto, considerado o primeiro ministro da área do país, afirmou que a motivação da manifestação dos ex-ministros é o futuro ambiental do país e da própria viabilidade da produção agrícola.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página