Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 

Kennedy Alencar

 

19/08/2011 - 14h21

FHC prega apoio tucano a Dilma

Nas conversas reservadas com dirigentes do PSDB, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem defendido que o partido dê apoio à presidente Dilma Rousseff no combate à corrupção. FHC acha que o PSDB deveria abandonar a articulação para criar uma CPI da Corrupção no Congresso.

O ex-presidente conversou sobre o assunto com os governadores Geraldo Alckmin (SP) e Antonio Anastasia (MG). A recomendação foi transmitida ao senador mineiro Aécio Neves, hoje o primeiro da fila tucana para disputar o Palácio do Planalto em 2014.

A presença de FHC no encontro de Dilma com governadores do Sudeste, na quinta (18/08), em São Paulo, foi calculada para se transformar num gesto de apoio à presidente. No evento, houve o lançamento do projeto "Brasil Sem Miséria" para a região.

Na visão de FHC, se o PSDB bombardear Dilma agora, o principal efeito será torná-la refém dos setores mais fisiológicos e atrasados de sua base de apoio no Congresso. Mais: reforçar Dilma diminuiria a possibilidade de uma eventual candidatura presidencial de Lula em 2014.

FHC tem se chocado com o ex-governador José Serra, candidato derrotado por Dilma na disputa presidencial do ano passado. O ex-presidente discorda do tom oposicionista mais duro de Serra, que, hoje, está isolado no PSDB.

*

Dilma e Temer

Surtiu efeito a correção de rumos na articulação política do governo Dilma. Uma crise que se anunciava pior do que a do Ministério dos Transportes acabou contornada de modo profissional. Houve, de fato, uma melhora na relação entre a presidente e o PMDB.

Ao mesmo tempo, Dilma combinou a manutenção de maioria política no Congresso com rigor no combate às acusações de corrupção. Essa é uma tarefa difícil, que alguns que não têm a responsabilidade de governar um país complexo como o Brasil confundem com leniência ética.

A demissão de Wagner Rossi da pasta da Agricultura, episódio marcado para implodir a relação entre Dilma e o vice-presidente da República, Michel Temer, aproximou os dois. Dilma deu ao PMDB tratamento diferente daquele empregado com o PR.

Segurou Rossi até quando era possível. A saída e a substituição para preservar a família, o PMDB e o padrinho Temer foram feitas com rapidez. Por tabela, a escolha do deputado federal Mendes Ribeiro (RS) amenizou o clima de hostilidade da bancada do PMDB em relação ao Palácio do Planalto.

Dilma parece ter encontrado o tom político, bem como parceiro para a articulação (Temer). Já passava da hora. O governo tem convivido com uma instabilidade política precoce num momento de turbulência econômica internacional.

Na política, a prioridade do Palácio do Planalto é tentar retomar a iniciativa, como o republicano encontro da petista com tucanos em São Paulo. Na economia, encontrar as medidas certas para amenizar efeitos domésticos da crise econômica mundial. Uma delas é aumentar a pressão sobre o Banco Central por redução imediata da taxa básica de juros, a Selic.

*

Criador e criatura

É equivocado o diagnóstico de incômodo de Lula com o jeito Dilma de tratar suspeitas de corrupção.

*

A hora

O ex-ministro José Dirceu gostaria de ser julgado o mais breve possível pelo STF (Supremo Tribunal Federal). No entanto, dada a dificuldade de uma decisão sobre o processo do mensalão ainda neste ano, ganhou força no PT a avaliação de que um julgamento adiante possa resultar em um eventual placar favorável e mais dilatado em benefício de Dirceu e de outros acusados.

Os petistas que têm feito essa avaliação acreditam que 2013 seria um ano em que o Supremo teria uma composição menos hostil aos réus _mesmo sabendo que a pressão da opinião pública terá peso e voto na decisão.

*

Asfixia social

Com o tempo, reforçam-se as impressões de que os saques de Londres têm bem menos tempero de banditismo do que apregoa o primeiro-ministro David Cameron.

Kennedy Alencar

Kennedy Alencar escreve no site às sextas. Na rádio CBN, é titular da coluna "A Política Como Ela É", que vai ao ar no "Jornal da CBN" às 8h55 de segunda a sexta. Na RedeTV!, apresenta os programas "É Notícia" e "Tema Quente".

 

As Últimas que Você não Leu

  1.  

Publicidade

Livraria da Folha

O Que O Brasil Quer Ser Quando Crescer?

O Que O Brasil Quer Ser Quando Crescer?

A. G. Roemmers, Gustavo Ioschpe

Comprar
Meus Tiranos Favoritos

Meus Tiranos Favoritos

Bob Lutz

Comprar
Cegueira Moral

Cegueira Moral

Zygmunt Bauman

Comprar
Mandela

Mandela

Christo Brand, Barbara Jones

Comprar
Pavões Misteriosos

Pavões Misteriosos

André Barcinski

Comprar

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

TV LED TV LED Smart, HDMI, Full HD a partir de R$ 899,90

Geladeira Geladeira Side By Side, Duplex, Frost Free a partir de R$ 849,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página