Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu

'Bom cabrito é o que mais berra'

"Sou brasileiro de estatura mediana / Gosto muito de fulana / Mas sicrana é quem me quer (...) / Eu sou poeta e não nego a minha raça / Faço versos por pirraça / E também por precisão (...) / Brasileiro, tatupeba, taturana / Bom de bola, ruim de grana (...) / Por onde passo deixo rastro, deito fama / Desarrumo toda a trama / Desacato Satanás (...) / Diz um ditado natural da minha terra / Bom cabrito é o que mais berra / Onde canta o sabiá / Desacredito no azar da minha sina / Tico-tico de rapina / Ninguém leva o meu fubá."

Esses memoráveis versos fazem parte de "Lero-Lero" (melodia de Edu Lobo; letra de Cacaso). Cacaso era o apelido de Antônio Carlos de Brito (1944-1987), professor de literatura da PUC-RJ e letrista, dos grandes.

Pois essa letra do grande Cacaso é mais uma das que nos fazem sentir a grandeza e a importância da poesia, por ser arte e por ser ponte entre nós e o mundo. O caro leitor já leu e releu o excerto de Cacaso e já o relacionou com o que ocorre no Brasil neste momento? É claro que me refiro aos diversos movimentos Brasil afora e, consequentemente, aos seus propósitos e despropósitos, ao que se lê nos muitas vezes geniais cartazes empunhados pelos participantes, à lamentabilíssima atuação das polícias militares em diversos episódios etc., etc., etc.

Voltemos aos versos de Cacaso. O primeiro deles na verdade não se refere apenas a uma característica do sujeito lírico. Mediano aí é também o brasileiro ampliado, que sai do eu lírico e vai para o padrão médio. Esse brasileiro, que faz versos por pirraça e por precisão, que é bom de bola e ruim de grana, que, por onde passa, deixa rastro e deita fama, desarruma toda a trama e desafia Satanás...

Irônico e mordazmente ambíguo, o texto de Cacaso acerta na mosca quando, nos últimos versos do parágrafo anterior e na caracterização do tico-tico, que, no imaginário brasileiro, é dócil, transforma o simbólico pássaro nacional numa ave de rapina (do qual não se tasca o fubá...).

Os últimos acontecimentos Brasil afora (incluídas declarações de autoridades e a atônita cobertura de parte da imprensa) se encaixam como luva no poema-vaticínio de Cacaso, cuja inquietante ambiguidade (traço de boa parte da boa poesia) nos faz querer saber quem de fato é o Satanás desafiado, qual é a trama que se desarruma etc.

Mas o melhor de tudo está em "Diz um ditado natural da minha terra / Bom cabrito é o que mais berra / Onde canta o sabiá / Desacredito no azar da minha sina...". Como bem sabe o leitor, o ditado nacional é outro; é o infame "bom cabrito não berra", profundamente ligado à nossa infame história de capitanias hereditárias, transformação do público em privado etc., etc., etc. É imperativo salientar mais uma vez a devastadora ironia e a mordaz ambiguidade de Cacaso presentes nos versos citados no início deste parágrafo, fundamentais para que se compreenda o caráter vaticinador do poema.

"O gigante acordou" diziam muitos dos cartazes vistos nas manifestações Brasil afora. Não sei se acordou de vez, mas parece que, ao menos desta vez, a sina de bom cabrito, aquele que não berra, foi por água abaixo. Já dizia Chico Buarque, outro gênio da nossa poesia musical, na antológica "Bom Conselho" (de 1972): "Ouça um bom conselho / Que eu lhe dou de graça / Inútil dormir que a dor não passa / Espere sentado / Ou você se cansa / Está provado, quem espera nunca alcança".

Como bem dizia o educador Paulo Freire, a leitura do mundo precede a leitura da palavra. Para bom entendedor, meia palavra basta; para mau entendedor, nem todas as palavras do mundo bastam. É isso.

pasquale cipro neto

Pasquale Cipro Neto é professor de português desde 1975. Colaborador da Folha desde 1989, é o idealizador e apresentador do programa "Nossa Língua Portuguesa" e autor de várias obras didáticas e paradidáticas. Escreve às quintas na versão impressa de "Cotidiano".

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade call of duty

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade

Folha Shop

TV Smart TV Smart HDMI, LED, Full HD a partir de R$ 999,99

Refrigerador Refrigerador Side By Side, Duplex, Frost Free a partir de R$ 849,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página