Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
07/03/2013 - 17h48

Polícia do Rio usa imagens para investigar morte de menino de 11 anos

Publicidade

BRUNA FANTTI
ESPECIAL PARA A FOLHA, DO RIO

Policiais da Divisão de Homicídios do Rio apreenderam imagens de câmeras de segurança na tarde desta quinta-feira (7) com o objetivo de tentar identificar um suposto casal que teria raptado o menino Alan de Souza, de 11 anos.

A criança, moradora da favela da Rocinha, foi encontrada morta na última segunda-feira (4) em uma ribanceira do Alto da Boa Vista, zona norte da cidade. Uma perícia feita pelo IML (Instituto Médico Legal) constatou que a morte foi causada por tiros, mas o menino foi vítima de tortura --o corpo dele tinha ferimentos possivelmente causados por pregos na cabeça e nas mãos, além de ter as unhas arrancadas.

Dois amigos afirmaram à polícia que estavam com ele na noite do último domingo ao lado do Jockey Club, na zona sul, quando um casal o abordou e o raptou. Os dois teriam acusado Alan de praticar roubos na região. Os amigos também foram abordados, mas conseguiram fugir. Eles ajudaram na confecção de um retrato-falado do casal.

"Estamos muito adiantados na investigação e temos certeza que em breve iremos esclarecer esse crime bárbaro, cruel e covarde", afirmou o delegado responsável pela investigação, Rivaldo Barbosa.

O corpo de Alan foi enterrado nesta quarta-feira (6), no cemitério São João Batista, na zona sul da cidade.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página