Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu

Padre que defende homossexuais diz estar "honrado" após excomunhão

Publicidade

Um dia após ser excomungado pela Igreja Católica em Bauru (a 329 km de São Paulo) por fazer declarações em apoio aos homossexuais, o padre Roberto Francisco Daniel, conhecido como padre Beto, diz que se sente "honrado" por pertencer à lista de pessoas punidas por "buscar o conhecimento".

Padre que defende homossexualidade pede afastamento
Fiéis lotam missa de padre que defende homossexuais

Beto foi excomungado por não pedir desculpas pelos vídeos em que aparece contestando dogmas e princípios morais conservadores da Igreja.

A excomunhão do padre foi divulgada ontem pela Diocese de Bauru. Em comunicado, a diocese diz que Beto cometeu "gravíssimo delito de heresia" e traiu o "compromisso de fidelidade à Igreja a qual ele jurou servir no dia de sua ordenação sacerdotal".

Beto havia recebido prazo do bispo de Bauru, Caetano Ferrari, 70, para se retratar e "confessar o erro" cometido em declarações divulgadas na internet nas quais afirma que existe a possibilidade de amor entre pessoas do mesmo sexo, inclusive por parte de bissexuais que mantêm casamentos heterossexuais.

Luly Zonta/Agência Bom Dia
Mais de mil pessoas lotaram a igreja Santo Antônio, em Bauru, no domingo de manhã para de despedir das missas celebradas pelo Padre Beto que anunciou sua saída da igreja no sábado. Pedro Motta deixa um churro de adeus. Crédito: Luly Zonta/Agência BOM DIA
Mais de mil pessoas lotaram igreja em Bauru no domingo de manhã para de despedir das missas celebradas pelo Padre Beto

Beto optou por não se retratar e pediu afastamento da Igreja no último sábado. Ontem, o bispo disse que não aceitaria o pedido e publicou a excomunhão.

Para comentar a excomunhão, usou sua página numa rede social.

"Eu me sinto honrado em pertencer à lista de muitas pessoas humanas que foram assassinadas e queimadas vivas por pensarem e buscarem o conhecimento. Agradeço à Diocese de Bauru", afirmou.

O padre, que já era bastante conhecido em Bauru, ganhou atenção da imprensa nacional e internacional.

Na manhã de hoje, concedeu entrevistas a emissoras de rádio, TV e jornais. Uma das universidades em que dá aula chegou a ser "invadida" por jornalistas que queriam ouvi-lo.

Fieis admiradores do padre estão se preparando para realizar um protesto. Uma moção de repúdio on-line contra a excomunhão já reunia mais de 2.000 adesões no início da tarde desta terça-feira (30).

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade

Siga a folha

Envie sua notícia

Publicidade

+ Livraria

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade

Folha Shop

TV LED TV LED Smart, HDMI, Full HD a partir de R$ 899,90

Geladeira Geladeira Side By Side, Duplex, Frost Free a partir de R$ 849,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página