Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu
Publicidade

Cresce gasto do governo com linha privada do metrô de São Paulo

Mais opções
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
  • RSS
Publicidade

A linha 4-amarela, a primeira de operação privada do metrô de São Paulo, teve um aumento de 14% no número de passageiros transportados no primeiro semestre. A remuneração da concessionária ViaQuatro, porém, cresceu 26% no mesmo período.

A empresa recebe do governo estadual por passageiro transportado, segundo uma tarifa definida no contrato.

Secretaria diz que considera tarifa média para pagar concessionária

Para quem só usa a linha, o valor repassado é integral. Quando o passageiro faz integração com outras linhas da rede, o valor é a metade.

Hoje, o governo tem que desembolsar R$ 3,13 por passageiro que usa exclusivamente a linha amarela –gastando mais do que os
R$ 3 que cobra de passagem.

A passagem chegou a subir para R$ 3,20 em junho, mas o governador Geraldo Alckmin (PSDB) voltou atrás após a onda de protestos.

No primeiro semestre, o número dos passageiros exclusivos dobrou em relação ao ano passado. Já o de passageiros que fazem integração subiu apenas 8%.

O aumento dos repasses também ocorreu porque a tarifa de remuneração, que não é vinculada à tarifa pública, teve em fevereiro o reajuste anual previsto em contrato.

O valor passou de R$ 2,93 para os R$ 3,13, aumento de 7%. Foi a primeira vez, desde que o contrato foi assinado, em 2006, que a tarifa de remuneração superou a passagem cobrada dos usuários.

Editoria de Arte/Folhapress

PPP

A linha amarela foi a primeira PPP (Parceria Público Privada) do país. O governo ficou responsável pela construção dos túneis e estações, e a ViaQuatro comprou trens e implantou os sistemas de operação em troca do direito de operar a linha por 30 anos.

Segundo pesquisa da ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos), os usuários consideram a linha a melhor da rede paulistana.

Na linha 6-laranja, que será a primeira PPP em que a construção também será feita por uma concessionária, o critério de remuneração aboliu a divisão por tipo de passageiro e adotou tarifa única.

As últimas estações da linha amarela a serem inauguradas foram República e Luz, em setembro de 2011.

No mês seguinte, a linha começou a operar em horário integral.

Em quase dois anos de operação plena, a ViaAmarela foi multada apenas uma vez por problemas no serviço. A multa foi de R$ 140 mil, aplicada devido a falha que atrasou o início da operação em 3 de outubro de 2011.

A empresa contesta a multa e entrou na Justiça para tentar uma anulação.

Na segunda fase, prevista para 2014, serão abertas mais cinco estações. Mas as obras na última estação, na Vila Sônia, atrasaram e ela será inaugurada apenas em 2015. Também há dúvidas sobre a abertura da estação São Paulo-Morumbi no ano que vem.

Rivaldo Gomes-23.set.11/Folhapress
Passageiros aguardam trem na linha 4-amarela do metrô; cresce gasto do governo paulista com a linha privada
Passageiros aguardam trem na linha 4-amarela do metrô; cresce gasto do governo paulista com a linha privada
Mais opções
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
  • RSS

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Especiais

Natal

Siga a folha

Publicidade

Envie sua notícia

+ Livraria

Livraria da Folha

Mentes Perigosas
Ana Beatriz Barbosa Silva
De:
Por:
Comprar
A Saúde dos Planos de Saúde
Dráuzio Varella e Mauricio Ceschin
De:
Por:
Comprar
Freud, Além da Alma (DVD)
John Huston
De:
Por:
Comprar
Publicidade
Publicidade

Folha Shop

Smart TV Smart TV Diversas ofertas a partir de R$ 856,11

Notebook Notebook Trabalhe, estude, jogue, a partir de R$ 769,00

Celulares | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página