Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu

Cabeça humana é encontrada em saco plástico na praça da Sé

Publicidade

Uma cabeça humana foi encontrada por volta das 12h desta quinta-feira (27) ao lado de um espelho d'água na praça da Sé, no centro de São Paulo.

Segundo a GCM (Guarda Civil Metropolitana), a cabeça estava em um saco plástico verde que foi encontrado por um homem que passava pelo local. A GCM diz que o homem resolveu mexer no saco ao ver insetos rodeando o local.

Para a GCM, a cabeça aparenta ser de um homem branco. Devido ao grande número de curiosos, o local foi isolado.

Há a suspeita de a cabeça pertencer ao homem que foi esquartejado e teve partes do corpo espalhadas em lixos de Higienópolis, no último final de semana.

O delegado Itagiba Franco, do DHPP (departamento de homicídios), foi chamado ao local pois é ele quem investiga o caso. Segundo o policial, "possivelmente é" a cabeça da vítima achada em Higienópolis.

Por volta das 14h, a cabeça foi levada para o IML (Instituto Médico Legal). O delegado disse que havia um ferimento na cabeça e que será feita a reconstrução da face da vítima para tentar identificá-la. Para ele, o homem tem entre 30 e 40 anos.

Familiares de um homem desaparecido em São Paulo serão ouvidos na tarde de hoje no DHPP, segundo Franco.

Ele diz que serão buscadas imagens na região para tentar identificar quem deixou o saco plástico na Sé. Franco acredita que a cabeça foi deixada de ontem para hoje no local. A polícia tenta entender o motivo de o criminoso ter deixado a cabeça na Sé e não em Higienópolis.

No domingo (23), partes de um corpo esquartejado foram encontradas em três pontos diferentes ao redor do cemitério da Consolação, nas imediações de Higienópolis.

Sem a localização da cabeça, a vítima até o momento não foi identificada. A polícia suspeita que o corpo encontrado no domingo seja de um homem, levando em consideração a estrutura óssea.

O CASO

Um morador de rua que revirava o lixo achou uma perna inteira, o pedaço de outra e dois braços em um saco preto, na esquina das ruas Sabará e Sergipe, por volta das 8h. Assustado, o homem foi até um mercado e pediu para que a polícia fosse chamada.

As pontas dos dedos das mãos foram arrancadas -a polícia acredita que para dificultar a identificação pelas impressões digitais.

A cerca de 450 metros dali, na rua Coronel José Eusébio, uma mulher que fazia o serviço de limpeza da rua achou outra parte do corpo, em um carrinho de feira de tecido azul, por volta das 12h.

O tronco da vítima, sem parte da pele, estava enrolado em um vestido vermelho.

Os órgãos genitais da vítima foram extraídos.

O terceiro pedaço do cadáver, uma coxa, estava em uma floreira da rua da Consolação, a 200 metros de onde estava o carrinho de feira.

Joel Silva/Folhapress
Cabeça humana foi deixada em saco plástico verde na praça da Sé; polícia ainda não tem suspeitos
Cabeça humana foi deixada em saco plástico verde na praça da Sé; polícia ainda não tem suspeitos

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Siga a folha

Envie sua notícia

Publicidade

+ Livraria

Livraria da Folha

Política para Não Ser Idiota
Política para Não Ser Idiota
Renato Janine Ribeiro e Mario Sergio Cortella
De:
Por:
Comprar
Como Identificar um Psicopata
Como Identificar um Psicopata
Kerry Daynes e Jessica Fellowes
De:
Por:
Comprar
Corpo Fala no Amor
Corpo Fala no Amor
Monika Matschnig
De:
Por:
Comprar
Publicidade
Publicidade

Folha Shop

Fogão Fogão De diversas marcas a partir de R$ 358,20

Notebook Notebook Windows 8, LED, Intel" Core a partir de R$ 799,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página