Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/11/2010 - 18h17

Segurança aponta homofobia em caso de agressão na avenida Paulista

Publicidade

DE SÃO PAULO

O segurança de um prédio da avenida Paulista que presenciou as cenas de agressão de cinco jovens a outro rapaz na manhã de domingo (14) prestou depoimento na tarde desta sexta-feira no 5º DP (Aclimação) de São Paulo.

Acompanhe a Folha no Twitter
Conheça a página da Folha no Facebook
Veja imagem da agressão contra jovens na av. Paulista

Reprodução/SBT
TV exibe imagens de ataque a jovens na av. Paulista; veja
TV exibe imagens de ataque a jovens na av. Paulista; veja

Rafael Fernandes disse à polícia que, depois de socorrer o jovem agredido, perguntou aos agressores --quatro adolescentes e um adulto-- por que tinham avançado contra ele. "Batemos porque ele é veado, foi o que eles me responderam. Aparentemente, foi preconceito", disse o segurança.

Fernandes complementou à polícia o que as imagens de uma câmera de segurança não puderam captar. Ele disse que, quando saiu da loja em que trabalhava, encontrou o rapaz preso debaixo do joelho de um dos jovens, recebendo socos de pelo menos três deles, sem poder reagir.

De acordo com o delegado Renato Felisoni, do 5º DP (Aclimação), ainda não foi possível determinar quem é quem no vídeo. As imagens mostram um dos agressores, que vestia uma camiseta preta, atingindo o jovem de 23 anos com duas lâmapas fluorescentes.

Felisoni disse que deve entregar o inquérito sobre o caso para o Ministério Público na próxima sexta-feira (26). A polícia já havia informado que irá indiciar os jovens sob suspeita de lesão corporal gravíssima e formação de quadrilha, mas o delegado disse acreditar que há elementos suficientes para que a Promotoria os denuncie (acuse formalmente) também por tentativa de homicídio.

Na próxima semana, a polícia ainda deve ouvir mais duas testemunhas: um outro segurança da loja, que trabalhava com Fernandes, e um homem que passava pela avenida Paulista no momento da agressão.

Luiz Carlos Murauskas/Folhapress
O presidente da ONG Casarão Brasil, Douglas Drummond (à esq.), recolhe assinaturas na avenida Paulista
Frente recolhe assinaturas em protesto contra agressões homofóbicas em São Paulo; veja imagens
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página