Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter

Ribeirão Preto

07/11/2013 - 14h44

Motociclista morre após passar por buraco no centro de Ribeirão Preto

Publicidade

DE RIBEIRÃO PRETO

Uma motociclista morreu na manhã desta quinta-feira (7), na região central de Ribeirão Preto (313 km de São Paulo), depois de perder o controle da moto ao passar por um buraco na pista.

Aiana Munize de Santana Dias, 25, trafegava na avenida Francisco Junqueira, uma das principais da cidade, às 6h40, quando ocorreu o acidente.

Com problemas financeiros, o governo Dárcy Vera (PSD) tem tido dificuldades para tapar os buracos da cidade. No mês passado, reportagem mostrou que havia 21 grandes buracos espalhados por Ribeirão, sendo 14 deles abertos pelo Daerp (Departamento de Água e Esgotos de Ribeirão Preto).

No caso do acidente que matou Aiana, o buraco foi aberto devido a um vazamento de água.

Edson Silva/Folhapress
Funcionário do Daerp no buraco na avenida Francisco Junqueira, onde uma motociclista morreu após sofrer um acidente
Funcionário do Daerp no buraco na avenida Francisco Junqueira, onde uma motociclista morreu após sofrer um acidente

Além disso, a pista da Francisco Junqueira estava molhada e o buraco, de aproximadamente um metro de diâmetro por 15 centímetros de profundidade, estava cheio de água por causa da chuva. A jovem morreu no local do acidente.

Testemunhas relataram que ela se desequilibrou ao tentar frear. Nesse momento ela caiu da moto e bateu contra as árvores do canteiro central da avenida. Outras disseram que após ela cair da motocicleta, um carro que vinha logo atrás a teria atropelado.

REPAROS APÓS O ACIDENTE

Cerca de quatro horas depois do acidente, a Prefeitura de Ribeirão Preto convocou uma coletiva de imprensa, na sede do Daerp, para informar que os reparos na pista iriam ser feitos ainda nesta quinta-feira, e que a Transerp (empresa que gerencia o trânsito de Ribeirão) havia sinalizado a pista na véspera do acidente.

No momento do acidente, não havia sinalização na pista. O superintendente da Transerp, William Latuf, diz que agentes do órgão colocaram cavaletes no local, às 11h10 da quarta-feira (6), após passarem pelo local e avaliarem que havia risco para os motoristas. Latuf não soube explicar por que os cavaletes não estavam na avenida na manhã desta quinta-feira.

Segundo a vendedora Ednalva Damasceno Soares, 28, que trabalha numa loja de flores em frente ao local do acidente, um caminhão se chocou contra o cavalete no início da tarde da quarta-feira, retirando a sinalização da pista.

O secretário da Administração e superintendente do Daerp, Marco Antônio dos Santos, afirmou que o departamento tinha conhecimento do vazamento na pista desde o domingo (3), mas não foi possível realizar o reparo por causa das chuvas.

O diretor técnico do Daerp, Ivo Colichio, afirmou que o vazamento, no domingo, não representava risco ao tráfego, pois não havia ainda formado um buraco como o que provocou o acidente.

SEM RECURSOS PARA O SETOR

Na semana passada, o vice-prefeito Marinho Sampaio anunciou sua saída da Secretaria da Infraestrutura.

Um dos motivos para isso foi a falta de recursos da pasta, não liberados por Dárcy.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página