Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/03/2011 - 08h32

Sob protestos, Boston cria projeto de lei para imitar NY

Publicidade

LUCIANA COELHO
EM BOSTON

Na cola de Nova York, dois vereadores em Boston propuseram em fevereiro uma lei que proíbe o fumo em parques, playgrounds e praias.

Enquete: Você acha que o Brasil deveria proibir o fumo em locais públicos, como praças e parques?
Especialistas desaprovam veto ao fumo em praias e parques de SP
Fumar em Nova York? Só em casa e olhe lá
Cidade da Califórnia foi a primeira do mundo a proibir fumo
Em Washington, sobraram terraços e pátios para fumar
Na China, tem cigarro até em hospital
Em Buenos Aires, tolerância a cigarro diminui agora
Boemia perde o 'fumacê' na Espanha
Nova lei antifumo afeta restaurantes na Bulgária
Venezuela anula lei antifumo aprovada na última quinta-feira

No Estado de Massachusetts, é proibido fumar em prédios públicos, locais de trabalho, salas de aula, locais que vendam alimentos, auditórios e estádios.

Boston proibiu o fumo em restaurantes e bares em 2003. Em 2009, retirou a licença de farmácias --que nos EUA são como minimercados-- para vender cigarro.

O novo projeto, de Sal LaMattina e Felix Arroyo, ainda em discussão na Câmara, já rende protestos do "Boston Globe", o maior jornal local.

Sobre o projeto, a Folha ouviu o vereador, que tem asma e integra a força-tarefa da prefeitura para combater a doença respiratória.

*

Folha - Por que essa lei?

Sal LaMattina - Tive a ideia quando estava em um parque e comecei a observar uma senhora em um dos bancos. Um sujeito se sentou ao seu lado e acendeu um cigarro. Dava para perceber que ela estava incomodada. É errado que alguém não possa relaxar em um parque.

O sr. já teve algum ataque de asma por alguém fumar ao seu lado em lugar aberto?

Quando eu estou com dificuldade de respirar, fico muito sensível. Mas meu objetivo não é sair por aí multando as pessoas, é conscientizá-las de que não devem fumar em um playground, um parque.

Playgrounds à parte, o sr. não acha que a céu aberto a fumaça se dissipe mais?

É, é diferente. Minha esperança é que as pessoas se tornem mais atentas para quem está perto. Você vai em um parque num dia bonito para tomar ar fresco. Se conseguíssemos tornar as pessoas mais conscientes, ao menos nos playgrounds, já seria uma vitória.

A lei pode aumentar a conscientização mais do que revoltar fumantes?

Ao menos há um debate, as pessoas estão falando disso. Então há uma esperança.

+ Livraria

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página