Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
21/07/2011 - 10h18

Só câncer causa mais medo do que a demência

Publicidade

CLÁUDIA COLLUCCI
DE SÃO PAULO

A doença de Alzheimer é a segunda mais temida no mundo, perdendo só para o câncer. É o que demonstrou que uma pesquisa internacional, divulgada na quarta-feira (20) na conferência internacional de Alzheimer, em Paris.

A enquete conduzida por pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard e da Alzheimer Europe, com recursos da indústria farmacêutica Bayer, entrevistou 2.678 adultos em cinco países: EUA, França, Alemanha, Espanha e Polônia.

Testes prometem diagnóstico mais cedo de Alzheimer

Os pesquisadores pediram que as pessoas identificassem a doença mais temida, em uma lista que incluía o câncer, as doenças cardíacas e o derrame.

Quase 25% dos entrevistados em quatro dos cinco países disseram que seu maior medo era ter o mal de Alzheimer.

A maioria conhece alguém com a doença. Nos EUA, 73% dos entrevistados já tiveram contato com alguém com Alzheimer.

Mais de 85% dos entrevistados afirmaram que procurariam um médico se tivessem sintomas de confusão e perda de memória.

Cerca de 40% dos entrevistados afirmaram que não sabem que o Alzheimer pode levar à morte.

Muitos acreditam que há tratamentos eficazes contra a doença. Na verdade, as drogas disponíveis hoje só tratam os sintomas e nenhuma conseguiu barrar o avanço da doença.

Quase metade dos entrevistados acredita que já existe um teste confiável para diagnosticar a doença em seus estágios iniciais.

E até pessoas saudáveis estão interessadas nos testes: dois terços dos entrevistados afirmam que fariam um exame se tivessem risco de desenvolver a doença.

+ Livraria

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página