Publicidade
Publicidade

Relembre personagens, confusões e vitórias que ficarão na história dos Jogos

Após 17 dias de muitas competições, rivalidades, conquistas e choros, a Rio-2016 terminou neste domingo (21) e, certamente, deixará muita saudade para milhares de torcedores em todo o mundo que vibraram e se emocionaram nos últimos dias.

Confira a seguir os momentos e atletas mais marcantes dos Jogos, que ficarão para a história e serão lembrados por muito tempo.

*

HISTÓRIAS INCRÍVEIS

Espírito olímpico
Duas corredoras, a americana Abbey D'Agostino e a neozelandesa Nikki Hamblin, chocaram-se e foram ao chão na semifinal dos 5.000 m. Uma ajudou a outra a se levantar, ambas concluíram a prova e receberam medalha de Fair Play esportivo do COI.

Dylan Martinez/Reuters
2016 Rio Olympics - Athletics - Preliminary - Women's 5000m Round 1 - Olympic Stadium - Rio de Janeiro, Brazil - 16/08/2016. Nikki Hamblin (NZL) of New Zealand stops to help Abbey D'Agostino (USA) of USA. REUTERS/Dylan Martinez FOR EDITORIAL USE ONLY. NOT FOR SALE FOR MARKETING OR ADVERTISING CAMPAIGNS. ORG XMIT: CVI11511
Nikki Hamblin, da Nova Zelândia, ajuda a americana Abbey D'Agostino a se levantar durante prova

"Peixinho" de ouro
A corredora Shaunae Miller, das Bahamas, liderava os 400 m, mas foi perdendo terreno nos metros finais. Na hora da chegada, deu um "peixinho" que lhe rendeu a medalha de ouro e impediu a americana Allyson Felix de se tornar a primeira mulher a conquistar cinco ouros no atletismo. Miller diz que não se lembra do que aconteceu, só de estar no chão.

Olivier Morin/AFP
TOPSHOT - Bahamas's Shaunae Miller crosses the finish line to win the Women's 400m Final during the athletics event at the Rio 2016 Olympic Games at the Olympic Stadium in Rio de Janeiro on August 15, 2016. / AFP PHOTO / OLIVIER MORIN
A corredora Shaunae Miller dá peixinho durante os 400 m

Braço curto
O nadador dos EUA Ryan Lochte alega ter sido assaltado, mas investigações desmentem a declaração do atleta.

Sem aperto de mãos
O judoca do Egito, Islam El Shehaby, foi excluído da delegação de seu país depois de levar bronca do COI por ter se recusado a apertar a mão do israelense Or Sasson, na luta de oitavas de final da categoria 100 kg. O judoca disse que aperto de mãos não está na regra e que por questões pessoais não apertaria a mão de alguém de Israel.

Markus Schreiber/Associated Press
El Shehaby, de azul, recusa o cumprimento do judoca de Israel
El Shehaby, de azul, recusa o cumprimento do judoca de Israel

Corrida descalça
A corredora etíope Etenesh Diro perdeu a sapatilha do pé direito na metade dos 3.000m com obstáculos, mas continuou a correr mesmo assim, arrancando aplausos da torcida. Após análise do vídeo, a organização decidiu que ela e outras duas atletas haviam sido prejudicadas, deixando a final com 18 atletas. Diro terminou em 15º.

É o amor
Após a final do rúgbi sevens, a jogadora brasileira Isadora Cerullo foi surpreendida pelo pedido de casamento de sua namorada, Marjorie Enya, voluntária dos Jogos. Ela disse sim.

Quase não coube
Era para ser a apoteose de Michael Phelps, com seu último ouro em Olimpíadas. Mas o americano teve de se contentar com a prata nos 100m borboleta e se espremer no pódio com Chad le Clos e Laszlo Cseh. O ouro foi para Joseph Schooling, atleta de Cingapura e fã de Phelps.

Michael Sohn/Associated Press
Singapore's Joseph Schooling shows off his gold medal in the men's 100-meter butterfly medals ceremony during the swimming competitions at the 2016 Summer Olympics, Friday, Aug. 12, 2016, in Rio de Janeiro, Brazil. (AP Photo/Michael Sohn) ORG XMIT: OSWM308
Joseph Schooling comemora medalha de ouro nos 100 m borboleta

Cair e levantar
O britânico Mo Farah caiu no meio dos 10.000 m, se levantou e ainda ganhou a medalha de ouro. "Só pensava em correr o mais rápido possível e não entrar em pânico. Eu pensava: 'Prometi essa medalha à minha filha, não posso desistir'."

Dylan Martinez/Reuters
2016 Rio Olympics - Athletics - Victory Ceremony - Men's 5000m Victory Ceremony - Olympic Stadium - Rio de Janeiro, Brazil - 20/08/2016. Mo Farah (GBR) of Britain poses with his medals. REUTERS/Dylan Martinez FOR EDITORIAL USE ONLY. NOT FOR SALE FOR MARKETING OR ADVERTISING CAMPAIGNS. ORG XMIT: DEL72
O britânico Mo Farah exibe medalhas de ouro

Quebrados
O ginasta francês Samir Ait Said sofreu uma fratura na perna durante o qualificatório. O levantador de peso armênio Andranik Karapetyan teve um deslocamento de cotovelo quando tentava levantar 195 kg.

Rebecca Blackwell/Associated Press
Cotado para ganhar medalha, ginasta francês Samir Ait Said quebra a perna no Rio
Cotado para ganhar medalha, ginasta francês Samir Ait Said quebra a perna no Rio

Acidente
A ciclista holandesa Annemiek van Vleuten sofreu uma queda durante a prova de estrada e foi internada com fraturas. O acidente gerou críticas dos atletas dizendo que a prova foi insegura.

Eric Gaillard/Reuters
2016 Rio Olympics - Cycling Road - Final - Women's Road Race - Fort Copacabana - Rio de Janeiro, Brazil - 07/08/2016. Annemiek van Vleuten (NED) of Netherlands competes. REUTERS/Eric Gaillard FOR EDITORIAL USE ONLY. NOT FOR SALE FOR MARKETING OR ADVERTISING CAMPAIGNS. ORG XMIT: OLYSS528
A ciclista holandesa Annemiek van Vleuten durante prova neste domingo (7)

Em família
O argentino Santiago Lange, 54, ganhou a primeira medalha de ouro do país na vela um ano depois de retirar metade de um pulmão em razão de um câncer. Ele só veio para os Jogos porque queria integrar a mesma delegação dos filhos, que disputam a classe 49er.

Bernat Armangue/Associated Press
Gold medalists Santiago Lange, left, and Cecilia Carranza Saroli, of Argentina, celebrate winning the Nacra 17 mixed catamaran sailing race at the 2016 Summer Olympics in Rio de Janeiro, Brazil, Tuesday, Aug. 16, 2016. (AP Photo/Bernat Armangue) ORG XMIT: OSAI411
Santiago Lange comemora medalha de ouro na vela

Verde ou azul
O tanque de saltos ornamentais do Centro Aquático Maria Lenk, de repente, amanheceu verde. O contraste com a água azul da outra piscina preocupou os atletas. O comitê organizador disse que a causa foi a quantidade de produtos químicos colocados na água.

Piriri
O francês Yohann Diniz passou mal durante os 50 km da marcha atlética, não conseguiu se controlar e defecou enquanto marchava. Desmaiou dez minutos depois e, ainda assim, conseguiu chegar em oitavo.

Jewel Samad/AFP
O francês Yohann Diniz é atendido por funcionários após a prova da marcha atlética
O francês Yohann Diniz é atendido por funcionários após a prova da marcha atlética

Besuntado
O porta-bandeira de Tonga, Pita Taufatofua, levou o Maracanã ao delírio ao entrar carregando a bandeira de seu país, sem camisa e com o peito brilhando, coberto de óleo, na cerimônia de abertura.

Olivier Morin/AFP
Tonga's flagbearer Pita Nikolas Taufatofua leads his delegation during the opening ceremony of the Rio 2016 Olympic Games at the Maracana stadium in Rio de Janeiro on August 5, 2016. / AFP PHOTO / OLIVIER MORIN
O porta-bandeira de Tonga, Pita Taufatofua, durante cerimônia de abertura

Paraolímpica olímpica
A iraniana Zahra Nemati disputou os Jogos Olímpicos no tiro com arco sentada em sua cadeira de rodas. Ex-lutadora de taekwondo, ela ficou paraplégica em um acidente. Em Londres-2012, tornou-se a primeira mulher do Irã a ganhar o ouro em Olimpíadas ou Paraolimpíadas, mas perdeu na estreia na Rio-2016.

Jewel Samad/AFP
Iran's Zahra Nemati shoots an arrow during the Rio 2016 Olympic Games women's competition at the Sambodromo archery venue in Rio de Janeiro, Brazil, on August 9, 2016. / AFP PHOTO / Jewel SAMAD
A iraniana Zahra Nemati durante prova do tiro com arco

Aqui pra vocês
Quando ouviu o resultado de sua luta nas quartas de final da categoria até 56 kg, o irlandês Michael Conlan mostrou os dois dedos médios para os juízes. "Meu sonho foi roubado". Ele perdeu para o russo Vladimir Nikitin e, mais tarde, insinuou em uma rede social que Valdimir Putin teria comprado os árbitros. A Aiba (Associação Internacional de Boxe) revisou todas as lutas e anunciou o afastamento dos juízes cujas decisões "não estavam no nível esperado".

Jae C. Hong/Associated Press
O boxeador irlandês Michael Conlan mostra o dedo do meio para os juízes que decretaram sua derrota nas quartas de final da Rio-2016
O boxeador irlandês Michael Conlan mostra o dedo do meio para os juízes que decretaram sua derrota nas quartas de final da Rio-2016

Bolinhas
Michael Phelps apareceu com umas manchas roxas nas costas que chamaram atenção. Eram fruto do uso de tratamento com ventosas, prática tradicional chinesa comum entre diversos nadadores.

Sob o véu
Primeira mulher dos EUA a disputar os Jogos Olímpicos usando o hijab, Ibti Muhammad conquistou a medalha de bronze por equipes da esgrima. No vôlei de praia, jogadoras do Egito atuaram com a cabeça e o corpo cobertos. O DJ da arena tocou músicas como "Ê, faraó", do Olodum, e "Dança do Ventre", do "É o Tchan", para que elas se sentissem em casa.

À capela
O sistema de som do estádio de hóquei sobre grama falhou, e não havia como tocar o hino nacional das seleções que iriam jogar. Não teve problema. Primeiro os holandeses cantaram seu hino, com ajuda do pessoal da arquibancada. Depois de alguns segundos, os belgas se abraçaram e começaram a cantar o seu. Os dois times foram muito aplaudidos pela torcida.

*

GRANDES DESEMPENHOS

Usain Bolt
O jamaicano ganhou o "tri tri", o tricampeonato Olímpico dos 100m rasos, 200m rasos e do revezamento.

Teddy Riner
O judoca francês manteve sua sequência de mais de cem lutas invicto sem sofrer um golpe.

Kaori Icho
A japonesa da categoria até 58 kg da luta livre se tornou a primeira mulher a ganhar o título olímpico quatro vezes seguidas.

Katie Ledecky
A norte-americana ganhou quatro ouros e uma prata e impressionou pela distância que abriu das rivais.

Majlinda Kelmendi
Em sua primeira Olimpíada com seu país de origem, Kosovo, reconhecido, a judoca ganhou a medalha de ouro na categoria até 52 kg. Em 2012, ela representou a Albânia.

Simone Biles
A ginasta dos Estados Unidos brilhou em sua primeira Olimpíada, com quatro ouros e um bronze.

Michael Phelps
Se despediu dos Jogos com cinco ouros e uma prata

Katinka Hosszu
A nadadora húngara, que acumulava medalhas em Mundiais mas não em Olimpíadas, saiu do Rio com três ouros.

Sebastian Brendel
O alemão, bicampeão mundial e campeão olímpico em Londres-2012 na categoria C1 1.000 m, foi o principal responsável por deixar Isaquias Queiroz sem um ouro no Rio. Ele conquistou o primeiro lugar nas duas provas em que o brasileiro foi prata (C1 1.000 m e C2 1.000 m).

Kenny Jason
Na ausência da estrela Chris Hoy, o ciclista assumiu o protagonismo do Team GB com duas medalhas douradas em provas individuais e uma por equipe no velódromo do Rio.

*

RELEMBRE ZEBRAS DESSA EDIÇÃO DOS JOGOS

Helen Maroulis
A americana bateu a lenda da luta, a japonesa Saori Yoshida, dona de três ouros olímpicos na categoria até 53 kg.

Fiji
A seleção de rúgbi sevens de Fiji ganhou da Grã-Bretanha e levou a primeira medalha de ouro do país em Olimpíadas.

Juan Martín del Potro
O tenista argentino venceu o número um do mundo, Novak Djokovic, que foi adotado pela torcida brasileira.

'Pica Power'
A tenista Mónica Puig atropelou as favoritas e conquistou o primeiro ouro para Porto Rico na história dos Jogos.

Anthony Ervin
Aos 35 anos, desbancou todos os jovens da natação, inclusive o então campeão Florent Maunaudou, e ganhou os 50 m livre.

*

SIMPATIA OLÍMPICA

A ginasta Flávia Saraiva, 1,33 m, torna-se uma das queridinhas da torcida brasileira.

A nadadora chinesa Fu Yuanhui só descobre ter ganhado o bronze quando é avisada por um repórter e faz a festa da internet com sua manifestação de alegria.

*

VITÓRIA DOS SILVA

Numa Olimpíada muito brasileira, medalhistas têm o sobrenome mais comum do país

- Rafaela Silva (ouro no judô)

- Thiago Braz da Silva (ouro no salto com vara)

- Mayra Aguiar da Silva (bronze no judô)

- Neymar da Silva Santos Júnior (ouro no futebol masculino)

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade