Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
02/08/2009 - 11h02

Brasil envia lixo tóxico de volta à Inglaterra

Publicidade

Colaboração para a Folha Online

Um lote de 40 contêineres contendo lixo tóxico exportado ilegalmente da Inglaterra para o Brasil foi embarcado de volta neste sábado (1º) no porto do Rio Grande (RS). Antes de partir para a Inglaterra, o navio deveria passar ainda no Porto de Santos, em São Paulo, para recolher mais 41 contêineres com 950 toneladas de lixo ilegal.

No embarque, ontem, estava presente o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc. "O Brasil não será a lata de lixo do planeta. Teremos um papel de protagonista nesta questão, exigindo mudança neste tipo de comportamento por parte dos países ricos", afirmou Minc.

Eduardo Anizelli -23.jul.09/Folha Imagem
Ministro Carlos Minc mostra lixo que chegou da Inglaterra em contêineres no porto de Santos; lixo será repatriado até terça
Ministro Carlos Minc mostra lixo que chegou da Inglaterra em contêineres no porto de Santos; lixo será repatriado até terça

O material, apreendido pela Receita Federal, foi catalogado pela Polícia Federal, Receita Federal e pelo Ibama, e será objeto de investigação pela Polícia Federal.

Na quinta-feira (30), o juiz federal Antonio André Muniz Mascarenhas de Souza, da 6ª Vara da Justiça Federal de Santos, havia determinado ao inspetor da alfândega que viabilizasse o embarque dos contêineres na sexta-feira (31), mas a empresa Mediterranean Shipping do Brasil, responsável pelo navio, solicitou um prazo maior devido à necessidade das operações de atracamento.

Medidas de prevenção

Antes do embarque, Minc se reuniu no porto com representantes da Receita Federal, da Polícia Federal, da Anvisa e da Superintendência do Ibama no Rio Grande do Sul para discutir medidas de prevenção contra esse tipo de crime ambiental e definir estratégias de investigação de eventuais passivos ambientais deixados no Brasil por conta de importações de outros lixos ilegais.

Entre as medidas, estão a mudança na legislação federal para enquadrar esse tipo de crime com reforço da fiscalização e participação de agentes do Ibama, Anvisa, entre outros órgãos, além de utilização de equipamento eletrônico de raio-X para identificação do material dentro dos contêineres.

Reunião

Na terça-feira (4), Minc aproveitará uma reunião com o enviado especial dos Estados Unidos para Assuntos do Clima, Tod Stern, para discutir com ele medidas legais que possam ser tomadas para que crimes semelhantes não se repitam. Outro tema que será abordado no encontro será a Convenção do Clima, que será realizada no final deste ano em Copenhague.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

TV LED TV LED Smart, HDMI, Full HD a partir de R$ 899,90

Geladeira Geladeira Side By Side, Duplex, Frost Free a partir de R$ 849,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página