Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
07/12/2009 - 12h37

Veja a programação da cúpula do clima de Copenhague

Publicidade

da Folha Online

A conferência sobre a mudança do clima de Copenhague começou nesta segunda-feira (7), dura duas semanas e vai até a sexta-feira seguinte (18).

A programação completa está disponível, em inglês, no site da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (UNFCCC, na sigla em inglês).

Veja abaixo exemplos dos pontos discutidos em cada dia:

*

No primeiro dia, além da abertura, está previsto o início da discussão sobre como efetivar, de modo cooperativo e a longo prazo, a Convenção-Quadro, estabelecida em 1992, no Rio de Janeiro.

Serão discutidos também os compromissos dos países do Anexo 1 sob o Protocolo de Kyoto --industrializados.

Na terça-feira (8), a conferência vai abordar mecanismos de financiamento para a convenção, assim como questões de desenvolvimento e transferência de tecnologias.

Já na quarta-feira (9), serão consideradas propostas dos países para acréscimos ao Protocolo de Kyoto.

Haverá debates com grupos informais na quinta (10) e sexta-feira (11). Para o sábado (12), está previsto um plenário para decisões.

Segunda semana

Mais debates com grupos informais acontecerão na segunda (14) e terça-feira (15).

Para a quarta (16) e quinta-feira (17), estão previstas declarações nacionais e relatórios sobre compromissos extras para o Protocolo de Kyoto.

No último dia, sexta-feira (18), espera-se a conclusão com anúncios de adoções das acordos e decisões tomadas.

Comentários dos leitores
Olmir Antonio de Oliveira (124) 31/01/2010 17h59
Olmir Antonio de Oliveira (124) 31/01/2010 17h59
A respeito de fundo para ajudar países pobres. É de se crer se derem condições de moradias dignas as pessoas já estarão ajudando em muito a preservação, principalmentese derem meios de susbsistencia, que possam usar combustível menos poluente e ou fonte renovavel (uso para queima, fogão, pobres de verdade de paises pobres não tem carro particular), geralmente recebem, se é quere cebem, são tratados pior que "muitas espécies de animais". O que pode preocupar é que 100 bilhões, é um bom dinheiro, mas que pode ser pouco se cair na mão de políticos, oportunistas, e picaretas de plantão existentes no mundo afora, pode virar mais muita fumaça, demagogia, mais contas e impostos para o trabalhador pagar..... Solução apenas para encher o bolso de meia dúzia, certamente já deve ter super poderosos preparados para embolsar a grana, papo de ajuda, filantropia, projetos... É preciso zelo, honestidade... 2 opiniões
avalie fechar
eduardo de souza (635) 31/01/2010 15h49
eduardo de souza (635) 31/01/2010 15h49
Fazer dinheiro sem dinheiro e de quebra, enforcar a juros altos uma nação e suas riquezas naturais.
Os bancos produzem 1 trilhão em papel impresso em cima de papel emitido pelo governo, ficam com 10% logo de início, 100 bilhões, pegam essa porcaria que não existe e passa à frente resgatando em troca as riquezas naturais.
Um bando de safados colocou em risco a vida toda de um planeta por um papel impresso combinado com inteligência e falta de caráter.
9 opiniões
avalie fechar
Rubens Junior Moreno Rubio (88) 30/01/2010 19h40
Rubens Junior Moreno Rubio (88) 30/01/2010 19h40
oi, caros leitores, toda vez que os gls, publicam essas falsas teorias, o que já foi provado pelo climagate, me vejo com a burrice atinge a todos, vejo hoje os ambientalistas, como foi na alemanha da segunda guerra, para não ofender, ou como os comunistas, a amazonia, é o futuro da agricultura e da pecuária, tem um indice de produtividade enorme, uma pecuária de ponta, e para nós obras nada, financiamento nada, por culpa do meio ambiente, a burocracia que nos obrigam, tudo isto é para entregar a amazonia aos gls americanos, ou seus exercitos, hoje não adianta ser homem, é melhor ser gls, e gritar na frente do palácio do planalto para proteger a floresta, mas fomos incentivados a vir aqui a produzir aqui, antes eramos pioneiros hoje somos bandidos, uma vergonha, a amazonia, precisa ser ocupada com urgencia, e ter ainda um limite de + 20% a ser desmatado, para que se configure como território nacional e se de condição de vida aos seus moradores, infelizmente a minoria vence, com berros e a força do dinheiro gls ianque, muito obrigado 6 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (496)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página