Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
03/07/2005 - 07h57

Mais de 26 milhões enviam mensagem ao Live 8

da BBC Brasil

Cerca de 1,5 milhão de pessoas foram aos dez shows da campanha Live 8 nos países do G8 e na África do Sul.

Mais de 26 milhões de pessoas do mundo inteiro mandaram mensagens pelo celular em apoio à petição da campanha "Make Poverty History" (algo como "Faça a Pobreza Virar História").

A petição será entregue aos líderes do G8 (grupo dos sete países mais ricos do mundo e a Rússia), que se reúnem esta semana, na Escócia.

Mais de 140 canais de televisão e cerca de 400 estações de rádio transmitiram os concertos que também ficaram disponíveis na internet. Os organizadores acreditam que cerca de 2 bilhões de pessoas assistiram ao Live 8.

Pink Floyd fez uma apresentação histórica, pois a banda tocou no Hyde Park, em Londres, com a formação clássica pela primeira vez desde 1981.

Emoção

Os integrantes do grupo haviam brigado e o vocalista Roger Waters chegou a dizer que nunca mais, sob nenhuma condição, tocariam juntos .

Durante todo esse tempo, a promessa foi cumprida e o Pink Floyd havia rejeitado algumas propostas milionárias para voltar ao mercado.

"Foi um show emocionante e era possível perceber que os músicos também estavam emocionados", conta o repórter da BBC Brasil Rodrigo Coelho, que assistiu ao espetáculo.

Alguns dos grandes nomes do rock e da música pop subiram ao palco no Reino Unido, na Itália, na França, na Alemanha, nos Estados Unidos, no Japão, no Canadá, na Rússia e na África do Sul.

Entre eles U2, Paul McCartney, Madonna, Elton John, Stevie Wonder, Coldplay e Robbie Williams.

O organizador do Live 8, Bob Geldof, disse que o evento deu aos organizadores um mandato sem precedentes para exigir o fim da pobreza extrema na África.

ONU

Líderes mundiais, como o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Kofi Annan, e o ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela se juntaram a artistas nos concertos pelo mundo da campanha Live 8.

"Isso é uma verdadeira ONU. O mundo todo se reuniu em solidariedade aos pobres", disse Annan no show em Londres.

"Em nome dos pobres, dos que não têm voz, dos fracos, eu digo obrigada a vocês."

Os shows da campanha Live 8 estão em andamento em Filadélfia, Paris, Johanesburgo, Roma, Berlim, Moscou e Barrie, no Canadá, além do concerto em Londres, o maior deles.

Veja as fotos

"Oportunidade histórica"

Em Johanesburgo, Mandela disse que os líderes do G8 têm "uma oportunidade histórica de abrir a porta para a esperança e para a possibilidade de um futuro melhor para todos".

"Queremos ação. Vocês têm poder de impedir um genocídio contra a humanidade. Nós estamos de pé e esperamos sua direção."

Na Filadélfia, o ator Will Smith fez a ligação, ao vivo, entre todos os concertos do Live 8.

Em Londres, o líder do U2, Bono, e Paul McCartney abriram principal concerto da campanha Live 8 no Hyde Park em Londres para um público estimado em 200 mil pessoas.

A apresentação foi aberta com as palavras "It was 20 years ago..." (Há 20 anos...), da música "Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band" e uma referência ao Band Aid de 1985.

Madonna se apresentou com uma africana que foi um dos símbolos da campanha de solidariedade de 20 anos atrás.

"Vocês estão prontos para começar uma revolução? Vocês estão prontos para mudar a história? Eu disse, vocês estão prontos?", repetiu Madonna.

Junto com a cantora, Birhan Woldu, de 24 anos, que nasceu na Etiópia, e era uma das crianças famintas que estavam no filme do concerto original, Live Aid, em 1985.

Sting cantou o clássico "Every Breath You Take" enquanto os telões mostravam imagens dos líderes do G8.

Bono Vox, líder do U2, disse que este "é o nosso momento, nossa vez, nossa chance de lutar pelo que é certo".

"Não estamos lutando por caridade, mas por justiça", disse ele.

Mais de 160 bandas e artistas se apresentaram nos dez concertos mundo afora.

O ator Brad Pitt, que chamou ao palco a cantora Annie Lennox, afirmou: "até o momento em que este concerto terminar à noite, 30 mil africanos terão morrido em decorrência da pobreza extrema".

Na Escócia, onde vai ocorrer o encontro do G8, mais de 120 mil pessoas, segundo a polícia, e 200 mil, de acordo com os organizadores, participaram de uma passeata para pedir ação contra a pobreza na África.

O fundador da Microsoft, Bill Gates, se juntou a Bob Geldof no palco para dar seu apoio à iniciativa.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página