Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
27/07/2006 - 13h44

Nova lei obrigará gondoleiros de Veneza a respeitar tradição

da BBC Brasil

Os gondoleiros de Veneza vão ser obrigados a retirar enfeites e adereços "kitsch" das embarcações, adotando um estilo mais sóbrio, tradicional do século 16.

Com o apoio da prefeitura, a entidade que representa os gondoleiros da cidade está propondo uma série de regras que obrigam os afiliados a abandonar as almofadas coloridas, tapetes, tintas fosforescentes, luzes e todo tipo de decoração "brega e de mau gosto" dos barcos.

Em entrevista ao jornal britânico "Times", o presidente da associação de gondoleiros, Roberto Luppi, disse que os turistas tendem a preferir barcos enfeitados, mas a história e a tradição das gôndolas precisam ser respeitadas.

"Temos de lembrar todos de que isto é Veneza, não Las Vegas", disse Luppi.

Músicas

Na briga pela clientela, os 425 gondoleiros de Veneza vêm apelando para todo tipo de estratégia, chegando até a instalar luzes de neon florescentes no exterior dos barcos e folhas douradas sobre os assentos.

"No passado, não havia necessidade desse tipo de regra. Elas eram implícitas, uma questão de cultura. Mas os tempos mudam", disse Luppi.

A idéia é retornar ao estilo original, austero e elegante, com interiores em preto, azul marinho ou vinho.

Assentos e almofadas serão de couro liso.

As novas regras não afetam barcos usados em cerimônias especiais, como casamentos. Estes incluem cabines de madeira decoradas, que oferecem privacidade aos passageiros.

Os tradicionalistas também querem regulamentar o trabalho dos cantores que oferecem serenatas românticas aos casais que passeiam nas gôndolas.

Eles estão pedindo aos cantores que ofereçam aos turistas canções típicas de Veneza, e não clássicos como "O Sole Mio", uma canção tradicional de Napoli.

A prefeitura de Veneza anunciou que vai oferecer cursos de seis meses para aspirantes a gondoleiros.

Eles vão aprender a manejar os barcos pelos estreitos canais da cidade e também estudarão arte e história veneziana.

Segundo o vice-prefeito da cidade, se a nova lei for aprovada, aqueles que burlarem as regras perderão suas licenças.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página