Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
10/05/2007 - 09h28

Software junta sons às imagens do Google Earth

da BBC

Além de ver imagens de todo o planeta, usuários do site Google Earth poderão em breve ouvir os sons que as acompanham.

Uma empresa da Califórnia, nos Estados Unidos, criou um programa de computador que associa sons gravados às imagens oferecidas pelo site, diz a revista científica "New Scientist".

A companhia, Wild Sanctuary, tem mais de 3.500 horas de sons coletados em todo o mundo.

A empresa está em negociações com o Google, embora ainda não haja um acordo oficial.

O diretor da Wild Sanctuary, Bernie Krause, disse: "Uma imagem equivale a mil palavras, mas um som equivale a mil imagens".

Krause passou os últimos 40 anos coletando sons. Suas gravações incluem mais de 15 mil sons de animais e de uma vasta gama de habitats, entre eles cidades, desertos, montanhas e ambientes marinhos.

Segundo ele, é a maior biblioteca de sons naturais que existe.
Krause explicou que a idéia é que o usuário selecione uma localidade em particular e depois tenha a opção de ouvir o som correspondente.

O software deve ser apresentado durante a conferência Where 2.0 em San Jose, na Califórnia, dia 29 de maio.

Se o projeto for bem-sucedido, Krause gostaria também de usar o Google Earth para mostrar como os sons de um determinado ambiente podem mudar com o tempo.

"As pessoas vão poder ter uma noção de antes e depois", ele disse.
O empresário usou como exemplo a prática de corte seletivo de árvores, tida como uma alternativa sustentável para a extração de madeira de florestas:

"As pessoas estão falando sobre como a extração seletiva é uma forma apropriada de não prejudicar o meio-ambiente".

"Mas nós temos evidências de que, do ponto de vista do som, o corte seletivo tem efeito profundo no mundo natural. As imagens de antes e depois parecem as mesmas, mas o som é completamente diferente".

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Google Earth
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página