Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
07/12/2007 - 21h11

Promotoria aciona mulher de Jucá por improbidade administrativa

Publicidade

da Agência Folha

O Ministério Público Estadual de Roraima entrou com uma ação contra Tereza Jucá, na semana passada, por supostos atos de improbidade administrativa cometidos quando ela era prefeita de Boa Vista (2001-2006).

Tereza, que é mulher do senador Romero Jucá (PMDB-RR), deixou a prefeitura no ano passado para concorrer a uma vaga ao Senado. Foi derrotada.

Consta na ação que a ex-prefeita utilizou a Cooserv (Cooperativa Roraimense de Serviços) para burlar norma constitucional que exige a realização de concurso público para preenchimento de cargos na administração pública.

Segundo o MPE, a cooperativa funcionava como meio de mascarar o desvio de dinheiro público e mão de obra custeada pela Prefeitura de Boa Vista para fins eleitorais.

O promotor Isaías Montanari aponta na ação que a Cooserv era controlada unicamente pelo então presidente da cooperativa e pela então prefeita com o objetivo de possibilitar a contratação de apadrinhados políticos.

No documento consta ainda que, durante o período eleitoral de 2002, os cooperados da Cooserv que prestavam serviços para o município eram obrigados a deixar de trabalhar para a prefeitura e passavam a trabalhar apenas para a campanha política do grupo partidário da ex-prefeita.

O MPE aponta que um contrato entre a prefeitura e a cooperativa destinou, nos três meses que antecederam às eleições de 2002, quantias que ultrapassavam os R$ 2 milhões.

O Ministério Público requer na ação a condenação da ex-prefeita pela prática de ato de improbidade administrativa, a suspensão dos direitos políticos por dez anos e a perda da função pública que estiver exercendo por ocasião da sentença.

A reportagem não conseguiu localizar a ex-prefeita. Ela foi procurada por meio de sua assessoria, que não atendeu às chamadas no celular.

Acompanhe as notícias em seu celular: digite wap.folha.com.br

Comentários dos leitores
Eduardo Giorgini (488) 27/01/2010 11h27
Eduardo Giorgini (488) 27/01/2010 11h27
Fim da estabilidade de servidores públicos seria uma saída respeitosa ao gargalo de crescimentoe diminuição de gastos.
Herança do Brasil colonial, serviço público fica refem de sindicatos que defendem, obviamente, somente aumentos de salarios e regalias e estão nem ai para a sociedade privada, que os sustentam.
Mas se pensar, precisamos de uma reforma generalizada, ou seja, um "Nascer de novo" que o torna totalmente inviavel.
Complicado a situação do Brasil.
[]s
Eduardo.
sem opinião
avalie fechar
Pedro Carvalho (2) 28/09/2009 13h40
Pedro Carvalho (2) 28/09/2009 13h40
É errado fazer essa divisão de quem merece mais ou quem merece menos, pois, a princípio, todos os partidos são iguais. No entanto, nós sabemos disso, que, se o DEM ou o PSDB estivesse no poder, ele também iriam fazer a mesma coisa. Isso sempre existirá nessa política pobre que é a brasileira. 1 opinião
avalie fechar
Hilton Leonel (6) 08/09/2009 18h15
Hilton Leonel (6) 08/09/2009 18h15
VIVA O PMDB: ESTÁ SEMPRE PRONTO PARA PREJUDICAR O POVO. QUE SAUDADE DE ULISSES
GUIMARÃES. O povo Brasileiro não aguenta mais.
sem opinião
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (6950)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página