Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
04/02/2003 - 06h56

Dirceu e Genoino articulam expulsão de "radicais" do PT

KENNEDY ALENCAR
da Folha de S.Paulo, em Brasília

O presidente do PT, José Genoino, e o ministro da Casa Civil, José Dirceu, endureceram com a ala radical do partido. Genoino proporá "advertência pública" do PT à senadora Heloísa Helena (AL), que faltou à votação para eleger o peemedebista José Sarney (AP) presidente do Senado, apesar do acordo PT-PMDB. Dirceu articula a saída de radicais da sigla.

A Folha apurou que Genoino e Dirceu avaliam que perder o controle sobre os chamados radicais contaminaria a base congressual do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, dificultando a aprovação das reformas tributária e previdenciária, e minaria a confiança do mercado no governo, o que geraria crise econômica.

"Não é uma questão de radicais e não-radicais, é uma questão de princípio. Ausentar-se de uma votação equivale a votar contra e nós não vamos admitir isso no PT", afirmou Genoino à Folha.

E emendou: "Vou propor na próxima reunião da Executiva ou do Diretório Nacional uma advertência pública à senadora Heloísa Helena. No PT não tem ninguém melhor do que os outros".

"O PT tem uma bancada de 92 deputados. E se 30 não concordarem com um projeto e resolverem se ausentar? Opinião no PT é livre, mas, depois de fechada uma posição, é obrigação votar com o partido", disse Genoino.

A atitude de Heloísa Helena, na opinião do presidente nacional do partido e de José Dirceu, é um exemplo ruim, porque serve de precedente para aliados se rebelarem contra propostas do governo.

De acordo com Genoino, se a senadora insistir em "atuar contra a orientação do partido, será aplicado o regimento interno". Leia-se: em último caso, pode ser expulsa do PT.

Nas conversas reservadas, Dirceu tem dito que o grupo de deputados mais sectários deve sair do PT. "O PSTU e o PCO receberiam esse pessoal de bom grado", disse Dirceu a um grupo de deputados no último final de semana. PSTU e PCO são partidos de esquerda radical.

A Folha apurou que Dirceu inclui no grupo que gostaria de ver fora do PT as senadoras Heloísa Helena e Ana Júlia (PA) e os deputados federais Lindberg Farias (RJ), Luciana Genro (RS) e o Deputado Babá (PA).

Gravação

Além das críticas dos radicais à política econômica e da ausência de Heloísa Helena na votação de sábado, Dirceu e Genoino também ficaram bastante contrariados com a gravação de uma conversa reservada na última sexta-feira entre a bancada congressual e o ministro da Fazenda, Antonio Palocci Filho.

A cúpula suspeita que um deputado federal tenha feito a gravação, na qual Palocci diz que tenta evitar o colapso econômico, e a tenha entregue à Agência Estado. O principal suspeito é o deputado federal Walter Pinho (PT-BA), que nega veementemente e diz que suas posições de crítica ao governo são públicas.

"Se a gravação do Palocci foi feita por um deputado, o que não ainda podemos dizer com certeza, representará quebra de confiança. Se descobrirmos que um parlamentar fez isso ou se alguém assumir a autoria, será convidado a sair do partido", disse Genoino.

Em reunião da bancada congressual com Palocci, na sexta passada, o ministro da Fazenda teve sua política econômica seriamente questionada por membros da ala radical. Palocci também respondeu em tom duro, pedindo que lhe dessem alternativas concretas. O próprio ministro reforçou ontem a ação de Dirceu e Genoino contra os radicais, dizendo por sua vez que seria "duro" com eles.

"Críticas no PT são livres e desejadas, mas não falta de companheirismo", disse Genoino.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página