Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
18/08/2000 - 20h06

Funai encontra índios desconhecidos na fronteira do Acre com o Peru

Publicidade

LUÍS INDRIUNAS
da Agência Folha, em Belém (PA)

Cerca de 250 índios nauas, considerados extintos desde o começo do século, foram reconhecidos pela Funai depois de um estudo antropológico dentro do Parque Nacional da Serra do Divisor, na fronteira do Acre com Peru.

Os primeiros indícios da existência dos nauas foram descobertos por uma equipe do Cimi (Centro Indigenista Missionário) de Cruzeiro do Sul (AC). Em setembro de 1999, por causa de um temporal, os indigenistas foram obrigados a parar na casa de uma senhora chamada Francisca, às margens do rio Moa.

Na ocasião, os indigenistas repararam que existia no quintal em frente à casa um cemitério e indagaram à senhora que o classificou como "coisa de índio".

Francisca disse, então, que era naua. Uma equipe da Funai (Fundação Nacional do Índio) seguiu para área para identificá-los. O antropólogo e administrador da Funai em Rio Branco, Antonio Pereira Neto, entrevistou cerca de 600 pessoas para confirmar as suspeitas. "Os nukini, que vivem próximo a eles, foram alguns dos que os reconheceram como índios", disse.

Durante a expansão da seringuais no início do século, muitos nauas foram escravizados pelos imigrantes que chegaram na região do Juruá. A última sobrevivente dos nauas, até então conhecida, teria casado com um nordestino em 1906, segundo registro da Prefeitura de Cruzeiro do Sul.

Pereira conta que atualmente os nauas não falam mais a língua e têm costumes comuns aos dos seringueiros. "Agora é o momento de eles retomarem os costumes".

Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e Funai terão agora que discutir uma forma de identificar a área que pertence ao grupo. Pela legislação, está proibida a moradia dentro de parques nacionais.

Os nauas pertencem ao mesmo grupo dos caxinauas, jaminauas, poianauas e iananauas, que vivem no Acre. Existem no Estado atualmente cerca de 13 mil índios morando em 30 áreas regularizadas. O Acre conta ainda com quatro grupos de índios isolados.

Clique aqui para ler mais sobre política na Folha Online.

  • Discuta esta notícia nos Grupos de Discussão da Folha Online
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página