Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
21/01/2009 - 10h01

Comitê rebate críticas e diz que Battisti é "ilustre desconhecido" para italianos no Brasil

Publicidade

da Ansa, no Rio

Os italianos que vivem no Brasil não se manifestam sobre refúgio político concedido a Cesare Battisti porque em geral estão "desinformados" sobre as questões que afetam a relação entre Roma e Brasília, afirmou nesta terça-feira o presidente do Comites (Comitê dos Italianos Residentes no Exterior) do Rio de Janeiro, Francesco Perrotta.

Perrotta afirmou que, em especial, os italianos residentes no Rio de Janeiro estão "integrados na comunidade brasileira a ponto de considerar um compatriota como Battisti como um ilustre desconhecido".

O representante italiano acrescentou que "talvez coubesse à comunidade italiana residente em São Paulo, muito mais numerosa, organizar uma manifestação de protesto" a favor da extradição do ex-ativista político de extrema esquerda, condenado pela Justiça italiana à prisão perpétua.

"É necessário considerar que nem todos têm acesso a jornais e televisões italianos, portanto acabam tomando ciência de notícias da Itália apenas por meio do filtro dos meios de comunicação locais", disse Perrotta, destacando que está "pessoalmente desapontado" pela decisão do Brasil de considerar Battisti como refugiado político.

As declarações do representante italiano no Rio de Janeiro são uma resposta aos comentários do subsecretário de Relações Exteriores da Itália, Alfredo Mantica, que criticou o silêncio da comunidade ítalo-brasileira diante do caso Battisti.

"A Itália inteira está indignada com a decisão brasileira de não extraditar o assassino Cesare Battisti', declarou Mantica em nota. "É doloroso constatar, no entanto, que nenhum representante da comunidade italiana no Brasil tenha se tornado protagonista de uma posição de defesa da nossa democracia".

"Somente participando neste sentido podemos dizer para nós mesmos que somos uma verdadeira comunidade nacional e não um simples conjunto burocrático de certificações e documentos. Justamente por isso, o silêncio ensurdecedor da comunidade ítalo-brasileira é ainda mais desagradável", afirmou o subsecretário responsável pelos italianos no exterior.

Comentários dos leitores
Heitor Bonfim (19) 10/12/2009 16h21
Heitor Bonfim (19) 10/12/2009 16h21
O Gabeira escondia este terrorista, agora Lula não sabe o que fazer com ele. Lula não sabe o que fazer com um assassino sangüinario nas mãos. Gabeira soube.
Que coisa, quando não escondem dólares na cueca, os políticos escondem terroristas sangüinários.
O povo que se dane, o cidadão que se dane, malditos!
1 opinião
avalie fechar
claudia kabus (266) 20/11/2009 19h48
claudia kabus (266) 20/11/2009 19h48
para quem não acredita em simples coincidências, é bom anotar nome do partido do terrorista em questão: PAC (Proletários Armados pelo Comunismo). 6 opiniões
avalie fechar
Disse Thomas Hobbes me Leviatã, obra primorosa da sua lvara: "A ausência de ciência, em outras palavras, a ignorância das causas, predispõe, ou melhor, obriga os homens a confiar na opinião e autoridade alheia. Todos os homens preocupados com a verdade,se não confiarem em sua própria opinião, deverão confiar na de alguma outra pessoa, a quem considerem mais sábia que eles próprios, e não considerem provável que queira enganá-los".
Alguém aplicou um engôdo no presidente para justificar o refúgio concedido ao honorável cidaão Italiano Cesare Battisti no Brasil.
Quem terido sido?
3 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (780)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Fogão Fogão De diversas marcas a partir de R$ 358,20

Notebook Notebook Windows 8, LED, Intel" Core a partir de R$ 799,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página