Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/11/2004 - 20h12

Eleição em Campos "continua" na Justiça, diz casal Garotinho

Publicidade

SILVIO NAVARRO
da Folha Online

Com um mapa político do resultado das eleições municipais no Estado do Rio de Janeiro em mãos, a governadora Rosinha Matheus (PMDB) e seu marido, Anthony Garotinho, afirmaram ontem que a eleição em Campos (280 km do Rio) "continua na Justiça" e poderá ser revertida.

Orientado por Garotinho, o candidato derrotado do PMDB à prefeitura da cidade, Geraldo Pudim, recorreu à Justiça para que seja anulada a vitória de Carlos Alberto Campista (PDT). Ele alega que a eleição pode ter sido fraudada.

Sem citar nominalmente o PT, Rosinha disse que "algumas pessoas tentaram fazer um combate político comigo e com o Garotinho" em Campos.

"Esqueceram o resto do país e perderam São Paulo, Porto Alegre, Curitiba [cidades nas quais o PT foi derrotado no segundo turno], perderam na cidade do ABC e perderam tudo preocupados com Campos", disse, após um encontro de governadores do PMDB em São Paulo.

A campanha em Campos foi marcada por denúncias de uso da máquina pública pelo governo do Estado e pela prefeitura. Tramitam no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) duas ações que pedem a impugnação das candidaturas de Pudim e Campista.

Garotinho minimizou a derrota em seu reduto político afirmando que não se pode "transformar uma cidade na realidade do Estado", que "a eleição continua na Justiça e não está homologada ainda". Disse que o PMDB e os partidos aliados serão governo em 58 cidades do Estado.

"Não é ruim para mim nem para o meu marido o que aconteceu em Campos. É ruim para a cidade de Campos, que só chamou a atenção do Brasil pela tamanha corrupção por parte da prefeitura daquela cidade, que está dando problema até hoje. A Justiça tem todos os dados, todas as provas, e tenho certeza que a Justiça vai fazer justiça", afirmou Rosinha.

Garotinho afirmou também que surpreendeu os governadores do partido ontem ao exibir os números do desempenho no Estado. Dos sete maiores colégios eleitorais do Estado, o PMDB só venceu em São João de Meriti e Duque de Caxias.

"Eu até estranho alguns órgãos de comunicação afirmarem que o PMDB no Rio de Janeiro não obteve um bom resultado. Foi até objeto de surpresa aqui para os governadores. Quando mostrei o mapa aqui [os governadores] ficaram surpresos, porque a notícia que passou para o Brasil era que tínhamos perdido. Quando mostrei o resultado [aos governadores], ouvi: mas não era isso que a gente lia", disse ele.

"Eu não conheço lugar nenhum no mundo, na matemática, onde 42 [prefeituras] seja menor que sete", completou.

Leia mais
  • Quércia fala em saída de ministros do PMDB e diz que Amir Lando "é nada"
  • Ministro diz que vai "apagar incêndio" no PMDB
  • Governadores e presidente do PMDB sugerem que partido deixe o governo Lula

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Orestes Quércia
  • Leia o que já foi publicado sobre Amir Lando
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página