Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
02/01/2005 - 09h35

Salário de João Paulo gera protesto em Recife

Publicidade

da Agência Folha, em Recife
da Agência Folha, em Salvador

O prefeito reeleito de Recife, João Paulo (PT), tomou posse ontem e já neste mês terá direito a um salário novo. Por decisão dos vereadores, seus vencimentos foram reajustados em 30,7%, passando de R$ 7.650 para R$ 10.000.

Do lado de fora da Câmara, onde ocorreu a solenidade, um grupo de 50 servidores ligados ao PSTU promoveu um protesto barulhento, com gritos e apitaço.

"À Sandy e Júnior meio milhão, ao servidor nenhum tostão", repetiam em coro os manifestantes, referindo-se ao valor pago pela prefeitura por um show da dupla.

João Paulo atribuiu a decisão do aumento de seu salário exclusivamente aos vereadores. Disse que não interferiu na questão e justificou o corte e o aumento da alíquota previdenciária como o único meio de manter o equilíbrio financeiro da administração.

Em seu discurso de posse, disse que as cobranças serão maiores no segundo mandato. João Paulo afirmou também que a parceria com o governo federal "será intensificada ainda mais nas áreas do desenvolvimento econômico e social". Presente na posse, o ministro da Saúde, Humberto Costa, disse que o governo "vai atender de forma igual a todos".

Em Aracaju (SE), outro prefeito reeleito do PT, Marcelo Déda, tomou posse prometendo dar continuidade às obras e combater o desperdício público. Reeleito no primeiro turno com 71,38% dos votos válidos, Déda voltou a negar ontem o seu suposto interesse em disputar o governo estadual. "No momento eu sou prefeito reeleito de Aracaju e não pretendo discutir a eleição de 2006 agora", declarou.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre João Paulo
  • Leia o que já foi publicado sobre a Prefeitura de Recife
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página