Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
10/01/2010 - 08h28

Cabral gasta lá fora em 1 ano quase tanto como Rosinha em 4

Publicidade

RAPHAEL GOMIDE
da Folha de S.Paulo, no Rio

O governo Sérgio Cabral, do Rio de Janeiro, gastou com diárias no exterior em 2009 quase tanto quanto a antecessora Rosinha Matheus consumiu em quatro anos (2003-06).

O total de gastos do Estado só com o pagamento de subsídios fora do país para o governador, secretários, funcionários e assessores civis foi de R$ 2,3 milhões em 2009, R$ 1,498 milhão em 2008 e R$ 735 mil em 2007 (valor corrigido), segundo o Siafem (Sistema Integrado de Administração Financeira para Estados e Municípios).

Nos três anos de gestão, já foram R$ 4,53 milhões. A média de gastos por ano é mais que o dobro da do governo anterior.

Os totais não incluem despesas com passagens aéreas, só hospedagem e alimentação. O custo de passagens (internacionais e nacionais) em 2008 (R$ 686.439,63) e 2007 (R$ 593.243,02) superou o gasto com hotéis e alimentação no exterior em 2006 e 2003.

Cabral recebeu em diárias R$ 31.653,80 em 2009. No ano anterior, ganhara R$ 35.848,62. No total dos dois anos, esses pagamentos ao governador chegam a R$ 67.502,42, o que corresponde a cinco meses de seu salário atual (R$ 13.403,25).

Cabral ocupa no governo a quinta posição no ranking de quem mais gastou no exterior. A campeã no Estado em diárias é a subsecretária de cerimonial do Estado, Adriana Novis Leite Pinto: recebeu R$ 93.062,63 para suas despesas só nos dois últimos anos, valor 38% superior ao montante entregue a Cabral. Em 2009 Adriana teve reembolso de R$ 50.676,50.

O governo diz que ela recebe mais porque "exerce função essencial nas viagens e precisa viajar com antecedência para realizar reuniões precursoras".

Logo atrás vem a secretária de Esportes, Márcia Lins, que ganhou R$ 82.418,43 em diárias nos dois últimos anos (R$ 47.641,30 em 2009 e R$ 34.777,13 em 2008). O valor total corresponde a oito meses de seu salário (R$ 10.017,02).

Em 2009, a secretária esteve em oito países (EUA, Inglaterra, Suíça, Holanda, Alemanha, França, Dinamarca e África do Sul) entre março e dezembro.

Márcia esteve envolvida no esforço do Estado para a escolha do Rio como sede da Olimpíada de 2016, fato que mais consumiu recursos no exterior em 2009, com R$ 216 mil.

O pagamento é depositado nas contas dos funcionários. Não é preciso apresentar notas.

O governo afirma que o gasto com diárias em viagens internacionais em 2009 foi de R$ 1.852.380,55 e não de R$ 2,3 milhões, como diz o Siafem.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página