Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
27/07/2005 - 16h53

Perillo confirma ao Conselho de Ética que alertou Lula sobre "mensalão"

Publicidade

ROSE ANE SILVEIRA
da Folha Online, em Brasília

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), enviou nesta quarta-feira depoimento por escrito ao Conselho de Ética da Câmara no qual confirma ter conversado com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a existência de pagamento de mesada a parlamentares da base aliada.

"Relatei ao senhor presidente da República que ouvira rumores sobre a existência de mesada a parlamentares em conversas informais em Brasília, porém sem provas concretas. Repeti o inteiro teor das informações que havia recebido." De acordo com o governador de Goiás, a conversa ocorreu no dia cinco de março de 2004.

Em seu depoimento escrito ao Conselho de Ética, Perillo confirmou que o presidente Lula disse não ter conhecimento do esquema do "mensalão" e que afirmou pretender tomar providências sobre o assunto.

"O senhor presidente da República disse que não tinha conhecimento e que ia tomar as providências que o assunto requeria. Não sei quais foram as providências tomadas. Como não tive mais informações a respeito, e certo de que havia levado o assunto ao conhecimento da maior autoridade e mais alto magistrado do país, e como também não tinha provas testemunhais concretas, resolvi dar por encerrado o assunto. Não voltamos a tratar mais desse tema. Presenciaram a conversa o motorista e o chefe da Segurança Presidencial", relatou o governado.

Segundo relatou Perillo, ninguém do governo o procurou para tratar do assunto depois que surgiram as denúncias do "mensalão". Ele declarou ainda que, após conversar com o presidente Lula, achou desnecessário procurar outras pessoas para tratar do assunto.

Raquel Teixeira

O documento do governador de Goiás é a resposta por escrito às perguntas feitas pelo presidente do conselho, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), a respeito de suas conversas com a deputada Raquel Teixeira (PSDB-GO) com presidente Lula sobre o "mensalão".

No depoimento, Perillo confirmou também ter conversado com Lula sobre o convite que deputada licenciada Raquel Teixeira (PSDB-GO) recebeu para mudar de partido em troca de dinheiro.

A proposta, teria sido feita pelo líder do PL na Câmara, deputado Sandro Mabel (GO), e incluía "luvas" no valor de R$ 1 milhão mais uma mesada de R$ 30 mil podendo chegar a R$ 50 mil.

"Fui informado, entre fim de fevereiro e início de março, pela deputada federal Raquel Teixeira de que teria recebido uma proposta para deixar o PSDB e filiar-se ao PL com a contrapartida de receber mensalmente uma mesada de cerca de R$ 30 mil e R$ 1 milhão ao final do ano. A proposta teria partido do deputado federal Sandro Mabel", afirma Perillo.

Segundo o governador goiano, sua reação, assim como a da deputada Raquel Teixeira, foi de indignação, mas ambos consideraram necessário ter provas da proposta antes de tornar a informação pública.

"A deputada Raquel Teixeira me disse que havia ficado indignada e que teria repelido a proposta. Eu disse a ela que se tivesse provas concretas levaria o caso ao senhor presidente da República, às autoridades judiciárias e ao conhecimento público por intermédio da imprensa. Fiquei extremamente preocupado e indignado com a tentativa de cooptação que me foi relatada."

Leia mais
  • Lista repassada pelo STF frustra expectativas de integrantes da CPI
  • CPI dos Correios pede a Ministério Público prisão de Valério
  • Dirceu se prepara para depoimento ao Conselho de Ética
  • Em nota, Valério diz que não é o único responsável pelas empresas SMPB e DNA

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre o caso do "mensalão"
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página