Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/11/2005 - 13h45

PT é acusado de falsificar documento no Conselho de Ética, diz revista

Publicidade

da Folha Online

O PT teria falsificado a assinatura do ex-presidente do partido, Tarso Genro, em um requerimento enviado ao Conselho de Ética, segundo reportagem publicada nesta semana pela revista "Veja". A fraude envolveria a representação apresentada pelo PT contra o deputado Onyx Lorenzoni (PFL-RS), que acusou o ex-ministro José Dirceu de omitir um empréstimo de R$ 14 mil em suas declarações de renda.

O PT acusa Lorenzoni de ferir o decoro parlamentar, pois divulgou dados que são protegidos por sigilo bancário e fiscal, o que justificaria a cassação de seu mandato.

De acordo com a revista, entretanto, a assinatura de Tarso foi falsificada na representação enviada pelo PT ao Conselho de Ética. A falsificação foi apontada por um laudo pericial elaborado pelo Instituto Del Picchia, em São Paulo.

Para chegar a essa constatação, o instituto comparou a assinatura da representação com outros cinco modelos extraídos de documentos oficiais. O laudo apurou que as três rubricas apostas ao documento também foram falsificadas.

De acordo com a revista, o presidente do Conselho de Ética, deputado Ricardo Izar (PTB-SP) classificou o caso como "gravíssimo" e disse que vai notificar o PT para que confirme a autenticidade da assinatura. Se o partido reconhecer a falsificação estará confessando o crime de falsidade ideológica.

Outro lado

Tarso negou que o PT tenha falsificado sua assinatura no documento enviado ao Conselho de Ética. "A representação foi assinada. Não há dúvida sobre isso."

Segundo ele, a representação foi assinada e remetida ao Conselho de Ética assim que o assunto foi decidido internamente.

No entanto, Tarso disse que o Instituto Del Picchia pode ter analisado um outro documento e não a representação contra Lorenzoni. "O que pode ter ocorrido é que alguém enviou um outro documento para análise."

Especial
  • Leia mais sobre o Conselho de Ética
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página