Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
02/10/2000 - 10h03

Câmara de SP terá mais de 50% de "caras novas"

Publicidade

da Folha Online

A Câmara Municipal de São Paulo vai ter uma renovação de mais de 50% de seus nomes. Dos 55 vereadores que vão compor a Casa a partir de janeiro, 28 não estão lá neste ano.

Dos 55 vereadores da atual legislação, 50 tentaram a reeleição. Desses, 23 não conseguiram. Entre os barrados há alguns "notáveis", como Brasil Vita (PPB), que está na Câmara há 40 anos, e Miguel Colasuonno (PMDB), que já foi prefeito de São Paulo e havia sido o segundo mais bem votado nas eleições de 96, quando obteve 63.585 votos. Este ano, acabou em 103º lugar, com 10.456 votos.

Outros que ficaram sob suspeita de pertencer à máfia da propina também não conseguiram a reeleição. Estão entre eles, Maria Helena Fontes (PL), que escapou da cassação pelos seus pares, mas acabou na 152ª posição entre os mais votados, com 6.146 votos; e Faria Lima, que ficou em 63º lugar, com 19.704.

Já Wadih Mutran (PPB), que personificou o defensor de Celso Pitta durante a CPI da máfia da propina, conseguir ficar entre os 55 que vão estar na nova legislatura. Obteve 22.570 votos.

O vereador Ivo Morganti (PMDB) não ultrapassou os 1.759 votos, ficando na 298º posição. Ele se notabilizou por organizar rebeliões de vereadores com o objetivo de chantagear o prefeito. Sua campanha na TV foi baseada no slogan: "Tentaram sujar meu nome. Não conseguiram".. Em 96, ele obteve 13.587.

Werner Zulaf, que foi secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente nas gestões de Paulo Maluf e Celso Pitta obteve menos de 2.800. Ele concorreu pelo PV.

Bruno Feder (PTB), outro pertencente da tropa de choque de apoio ao Executivo, também ficou fora. Obteve 10.567 votos e ficou em 102º lugar .

Mohamad Murad (PL), Alan Lopez (PTB), Carmino Pepe (PL), Emílio Meneghini (PPB), Cosme Lopes (PPB) e Arquibaldo Zancra (PL) também não se elegeram.

Outros derrotados são Alfredo Cotait (PFL), apoiado pelo deputado Gilberto Kassab (PFL), Carlos Alberto Venturelli (PL), ex-diretor do Contru (Departamento de Controle do Uso do Solo), Ester Vergniano (PTB), mãe da vereadora cassada Maeli Vergniano.

Estrelas

Algumas "estrelas" que também tentavam a vaga na Câmara de São Paulo foram barradas.

Entre eles, Carola Scarpa, ex-mulher de Chiquinho Scarpa, com 914 votos; Athayde Patrese (1.012), Marlene Mateus (5.060), Chico Lang (18.883) e Eder Jofre (10.771).

Três concorrentes a vereador não tiveram nenhum voto, nem deles mesmos. São: Thereza Santos (PSB), Enéias (Prona) e Denise Pompeu de Toledo (PHS).

Leia também:Acaba reinado de 40 anos de Brasil Vita

Veja a lista dos 55 eleitos

  • Leia mais no especial Eleições Online.

    Clique aqui para ler mais sobre política na Folha Online.

  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página