Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
15/12/2006 - 14h59

Reajuste salarial de 91% no Congresso revolta o país; veja e-mails de leitores

Publicidade

da Folha Online

Em pouco mais de 15 horas, desde as 20h de ontem, mais de 1.100 leitores enviaram e-mails para a Folha Online opinando sobre a decisão dos parlamentares de reajustarem os próprios salários em 90,7% a partir de fevereiro de 2007. Eles passarão a ganhar R$ 24,5 mil mensais.

A maioria esmagadora das mensagens revela indignação, revolta e também sensação de impotência do cidadão comum diante da decisão dos políticos, que é tomada como uma espécie de escárnio. O aumento vai ampliar os gastos públicos em R$ 1,6 bilhão no próximo ano. Você vai ler a partir de agora trechos do que os brasileiros pensam a respeito do reajuste salarial:

Leia mais comentários




"Me sinto lesado e indignado! Sou metalúrgico e em novembro último tive um estrondoso dissídio de 5%."

Armando A. Mocci Jr.
Salto - SP

"Hilariamente falando, penso ser incongruência alertar que 'mensagens de conteúdo ofensivo não serão publicadas', em contrapartida à matéria publicada. Afinal, por qual ótica ou abrangência pode-se afirmar o que seja 'conteúdo ofensivo'? Tal decisão é por demais ofensiva à realidade brasileira. A sociedade não merece isso."

Paulo de Torres
Espanha

"Onde está meu representante? Onde estão Osmar Serraglio e Osmar Dias, deputado estadual e senador pelo Estado do Paraná que não me representam e não defendem a população paranaense e brasileira destes absurdos a que somos submetidos? Como estes puderam concordar, ou pior ainda, se omitirem de tal responsabilidade se escondendo atrás das "lideranças" partidárias???"

Demetrius Dallalana, engenheiro
Paraná

"O que esperar desse Parlamento, considerado o mais corrupto de todos os tempos? Resta-nos, como simples cidadãos, o direito à indignação. Isso nada mais é que o retrato fiel dos nossos políticos, que são o reflexo de uma sociedade extremamente pobre em conhecimento e cultura."

Luiz Antônio Sandes Vieira
Aracaju - SE

"Será que as despesas dos deputados aumentaram em 90,7%? Será que estava difícil pagar as contas com o salário anterior? Algum indicador registrou inflação pelo menos 10 vezes menor que esse valor? O pior de tudo é que esse aumento veio pouco depois da reportagem do jornal espanhol 'El País', que dizia que os deputados e senadores brasileiros estavam entre os mais bem remunerados do mundo."

Henrique Coimbra Gomes
Belo Horizonte - MG

"Será que algum deles tem um projeto para diminuir o tamanho da dívida externa? Tem projetos para geração de trabalho e riqueza? Esse é o Brasil do futuro que se falava nos anos 80? Como dizia Bóris Casoy, isso é uma vergonha !!!!"

Maurício Muller
Ponta Grossa - PR

"Estamos passando por um período (de crise) sem precedentes em nosso país. Há 26 anos o país não cresce nada. A classe média está desaparecendo. Os senhores deputados e senadores nos dão a cada dia um novo presente. Agora eles se deram um pequeno aumento de mais de 90%. Concordo que eles sejam bem remunerados, mas receber o mesmo que um magistrado da mais alta corte do país é imoral."

Luís Fernando Alves Miléo, médico
São Paulo - SP

"Isto foi uma bofetada na cara da população brasileira. Gostaria que algum repórter da Folha Online perguntasse a um deputado qualquer: qual foi a produtividade deste Congresso para que se igualassem ao STF em salários?"

Paulo Roberto Lima
Goiânia - GO

"Isto é o maior absurdo, vem consolidar a falta de coerência que reina em nossos poderes, onde Legislativo e Judiciário parecem viver em outro planeta e confirmam a maior falta de compromisso e respeito para com o povo brasileiro. Não há mais onde apelar!!!! A desesperança venceu o medo."

Ricardo Finardi
Uberlândia - MG

"Como podemos aceitar atitudes desta maneira? A história nos ensina, mas o brasileiro continua anestesiado. Não podemos aceitar Brasília ser o que é: longe e grande. Lá eles não têm a pressão da sociedade. Cadê os movimentos? Vamos às ruas, não para quebrar ou algo do tipo. Mas, cobrar... e se preciso, fechar o Congresso, que hoje deveria ser interditado pela Vigilância Sanitária. Dá nojo saber que aquilo existe. Uma coisa é certa, não podemos deixar como está."

Glauber Mateus
São Paulo - SP

"Não precisa ser contador, economista ou comentarista político para ver que em cinco anos o Brasil vai entrar em um colapso total, senão vejam, água, energia, telefone, impostos, prestação de habitação IPVA etc. Todos têm aumentos superiores a 10%, enquanto o salário somente aumenta 3% até 5%. Logo não vai acompanhar tanto aumento: o povo fica sem dinheiro não paga os impostos e o Brasil pára."

Marcos Batista
Recife - PE

"O aumento do salário de deputados, senadores, juízes, CNJ, ministros, presidente e todos os outros cargos das 3 instâncias dos Poderes pagos pelo povo brasileiro deveria ser diretamente relacionado a indicadores tais como crescimento do PIB, melhoria de IDH, diminuição dos índices de corrupção, índices outros aos quais mediriam diretamente as melhorias em educação, saúde, saneamento básico, pois acredito que, somente assim, mesmo que indiretamente, este 'pessoal' trabalharia em prol da melhoria de nosso país em vez de suas benesses privadas."

Robert Schoenau

"Já que são os deputados e senadores que votam o aumento do salário mínimo, nós, eleitores, é que temos o direito de dizer se eles merecem aumento de salário ou não. Se fosse realizada uma eleição para votar pelo aumento ou não dos salários de deputados, senadores, presidente, governadores, vereadores, prefeitos, aposto que seria baixo o índice de abstenção. E os votos não seriam brancos, nem nulos. Já que somos os 'patrões', acredito que temos esse direito."

Dejalma

"O meu descontentamento é tanto que não sei se meu filho vai ter futuro a não ser que eu faça por onde, quem sabe eu invada Brasília, faço uma nova Constituinte."

Allan Gil, leitor com filho sem futuro
Rio de Janeiro - RJ

"Gostaria que o aumento privilegiasse todas as classes de trabalhadores, aposentados e pensionistas que de uma forma ou de outra contribuem ou contribuíram para o crescimento do nosso país."

Eleida Maria Magalhães Brochado

"Realmente estarrecedor. Isso me faz lembrar a era Absolutista que surgiu após o feudalismo na Europa, tendo em cena o rei, o alto clero (juízes, deputados e senadores) e o povo, que como autênticos bobos da corte trabalham e sustentam os dois primeiros estamentos. Infelizmente este país não é sério. A decisão mais sensata seria diminuir o teto do salário de juízes para o atual de deputados, que diga-se de passagem é muito alto e muito aquém da grande maioria de trabalhadores que trabalham --e muito-- para carregar este fardo pesado que é o Brasil."

Maria Amália Junqueira Arantes

"Que tipo de patrão somos nós, que deixamos com que nossos funcionários aumentem seus salários a seu bel prazer e de acordo com suas conveniências? Isso é uma vergonha, o Congresso devia ser fechado e os parlamentares demitidos já que o Congresso não serve para nada, a não ser como um antro de negociatas excusas, prostituição, lavagem de dinheiro e muito mais que minha imaginação não consegue captar no momento."

Daniel Augusto Kloster

"A redução da carga tributária só ocorre com a redução dos custos da máquina pública. É exatamente isto que está sendo feito. Aumentam-se os gastos públicos, renovam-se impostos como a CPMF (que nem precisou mudar de "apelido", só de nome --provisório para permanente, vejam só que legal!). Agora que já estão eleitos, podem voltar a fazer tudo como era "antes, no reino de abrantes...". E antes que perguntem, por aqui no planeta Terra está tudo igual."

Samuel Cardoso

"Acredito que qualquer trabalhador tem o direito de pleitear salário justo. Porém, qualquer categoria, quando quer um aumento de salário reivindica ao seu patrão. No caso dos deputados eles deveriam pleitear junto aos eleitores um reajuste e o correto seria os patrões (nós, cidadãos) concedermos um reajuste com base na inflação acumulada desde o último reajuste. Esse princípio serve para qualquer trabalhador honesto. Mas será que já podemos considerá-los trabalhadores honestos?"

Noel De Oliveira Santos, professor
São Paulo - SP

"Eu tenho anulado meu voto nas últimas eleições porque entendo que essa cambada não me representa. Todo o final de ano é a mesma coisa. Aumento dos próprios salários. Eu pergunto o seguinte: qual seria nosso crescimento anual caso nosso Congresso estivesse fechado? Será que esse pessoal faz falta mesmo ao nosso país? Ou, em último caso, não seria melhor a metade dos que estão lá? O problema é quem elegeu não tem acesso aos meios que temos de discussão sobre o tema. Provavelmente todos que escreverão aqui estarão indignados com o fato."

Otávio José Carvalho Duarte

"Enquanto não houver uma mudança cultural, onde a corrupção e a falta de caráter sejam consideradas coisas abomináveis e inaceitáveis em todos os níveis da sociedade, nós não conseguiremos mudar nada neste nosso pobre Brasil. Todos esses nossos representantes deveriam ser cidadãos voluntários, que como tantos outros voluntários fazem este trabalho pelo bem comum, e não de si próprio. Nós, meros contribuintes, pagamos a quantidade aviltante de impostos e temos que cuidar da nossa saúde pagando planos de saúde, da segurança, pagando segurança particular, seguros, etc. A ética exige que cada um se manifeste de alguma forma para ver se pelo menos as gerações futuras voltarão a ter orgulho de ser brasileiros."

Maria Amelia Aizawa

"As reformas são urgentes e necessárias. A sociedade organizada, imprensa, OAB, sindicatos e demais formas representativas não-partidárias devem exigir mudanças rápidas. E estas mudanças não podem ser efetuadas por parlamentares, vistos que o vício de legislar em causa própria e inevitável."

Augusto César Antunes Fonseca
Cuiabá - MT

"E agora para brindar-nos no final do ano, os políticos do Brasil estão preocupados com a crise aérea, é verdade! Ou vocês não ouviram que eles estão preocupados se vão conseguir viajar de avião para chegar em casa para as festas de final de ano? Festa esta que com um salário para o próximo ano de R$ 24.000, deverá ser maravilhosa."

Edson, ex-classe média

"O Brasil vive numa desgraça generalizada, a maioria da população recebe muito mal e quando algumas pessoas que votamos começam a receber um 'salarinho' de R$ 24,5 mil esquecemos o tanto de esforço que estes fizeram para merecê-lo, senão vamos lembrar do que ocorreu com os fatos da 'máfia da sanguessuga/ambulância', 'valerioduto', 'dossiê', entre outros. Então ficou tudo resolvido, resolvido que deveriam encerrar estes assuntos para não comprometer os nobres colegas e também para talvez não atrapalhar a votação deste 'reajustinho'. Até concordaria com este 'reajustinho', ou um maior ainda, desde que as metas (também não sei quais são) previstas fossem atingidas. Porém o que ocorre é tudo contrário, não atinge-se metas alguma e ainda brigam pelo vergonhoso 'reajustinho'."

Wagner F. Meneghin, engenheiro

"Infelizmente, como previa a maior parte dos analistas políticos, houve a farra da pizza no episódio da votação para decidir pela cassação do mandato de alguns parlamentares. O espírito de corpo atropelou a ética e a moral, e o povo, consternado, assistiu à alegria da absolvição de parlamentares. Para coroar a 'vitória da vergonha', nada melhor que aumentar os salários dos dignos e honrados representantes da nossa sociedade em 100%, enquanto os trabalhadores, em alguns casos, tem que negociar até redução de salários para poder continuar com o seu ganha-pão. Alguns parlamentares até que temiam a reação popular, mas a vergonha e a insensatez venceram o medo."

Luiz Delfino de Carvalho Fonseca
Brasília - DF

"Gostaria de deixar registrada a minha indignação. Somente um Congresso e Senado como os nossos para aumentar em quase 100% seus próprios salários enquanto quase têm um ataque histérico para aumentar o mínimo em R$17! Impressionante! Achava que mais nada fosse capaz de me surpreender."

Angela C. Antunes Ruiz, tecnóloga mecânica

"Eu, Áurea Aparecida, nascida em um país chamado 'B r a s i l', estou pronta a participar de qualquer manifestação, protesto, grito de liberdade, seja o que for, para expor minha repugnância à atitude de 26 representantes do povo. Povo esse ainda escravizado, torturado, humilhado e lesado pela ditadura da política brasileira."

Áurea Aparecida
Cuiabá - MT

"Sem comentários... Está uma vergonha a nossa política brasileira, enquanto há muita discussão para aumentar o salário mínimo, os parlamentares estão rindo à toa com os bolsos e cofres recheados. Sou um brasileiro, nunca desisto...Quem sabe um dia chego lá!"

Marcos Olveira

"Esta é a prova que os deputados e senadores apenas pensam em seus interesses e não no povo. Espero que tenha algum ministro do STF ou algum advogado bem instruído para mover uma ação pública e tentar cancelar isso. É uma falta de respeito com o povo e com a economia do país, servindo como uma ação desestimuladora das pessoas honestas e que procuram consolidar a economia para que possamos ter mais esperança e principalmente orgulho de sermos brasileiros."

Thiago Focchezatto, um brasileiro decepcionado

"Nossos parlamentares são uma vergonha para o país. Deveria partir deles o exemplo. Nada justifica um aumento de 91% quando a inflação do período de 2003 até hoje foi de 27%. Este aumento tem que ser barrado, esse dinheiro tem que investido em projetos de educação e saúde.Com certeza isso irá significar algum novo imposto que teremos que pagar para sustentar estes indivíduos que recebem tão pouco pelos serviços prestados à nação, porque além do salário vem todas as verbas complementares."

Francisco Andrade

"Será que não está na hora de nós, os patrões desses senhores e senhoras, termos o poder de determinar, por meio de consulta popular (voto, plebiscito ou algo semelhante), o quanto eles receberão de salário? Será que não está na hora de nós, cidadãos, determinamos quanto eles receberão de aumento? Como é que esses senhores e senhoras, que cometeram tamanha e grave traição, vão encarar as suas próprias consciências? Ou será, pelo mostrado, que eles não as possuem?"

Alexandre Carneiro
São Paulo - SP

"Se forem parlamentares com 'P' maiúsculo, não vejo nada de errado, pois é um Poder da República, soberano, independente e deve receber como salário mensal o mesmo que as autoridades dos outros dois Poderes Constitucionais: Executivo e Judiciário. Uns estudam em faculdades de Direito (como eu, sou advogado), outros são eleitos pelo voto popular. Não sei o que é mais difícil. Passar em um vestibular e concurso acadêmico, ou ser eleito parlamentar ou presidente da República."

Oscar

"Rogo a Deus para que esta legislatura termine. Sem dúvida nenhuma essas foram as piores levas de parlamentares que já ocuparam a história daquela Casa. Os crimes executados por parlamentares de outras épocas seriam rebaixados e julgados por Tribunais de Pequenas Causas perto dos cometidos hoje. É uma vergonha morarmos em um país onde um trabalhador de jornada de oito horas diárias ganha R$ 350, enquanto pessoas que trabalham apenas quando convém ganhem R$ 24.500."

Chrisnamurt Ribeiro
Belém - PA

"Resido atualmente em Portugal, mas não me desligo de minha terra mater e desejo imensamente retornar um dia para o meu Brasil. Mas, quando fico sabendo que ainda hoje os nossos 'nobres' parlamentares fazem esse tipo de coisa, fico completamente confuso e acho que eles não querem que eu volte."

Hélder Narde
Ouro Preto - MG

"Isso é simplesmente revoltante. Enquanto a classe trabalhadora faz greves solicitando 7% de aumento, para conseguir apenas 2,5%, os congressistas conseguem 90,7%! Começo a achar o aumento para R$16.500 bem razoável. No mais, acredito que apenas uma greve de toda a massa trabalhadora, que paga os salários deles, pode acabar com essa festa neste país chamado Brasil."

Itapajé Takeguma, técnico bancário

Leia mais
  • Livro analisa perfil da câmara dos deputados
  • Livro mostra evolução do patrimônio dos deputados
  • Câmara e Senado fecham acordo para elevar salários para R$ 24.500
  • Heloísa diz que é preciso "óleo de peroba" para explicar aumento no Congresso

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a preparação do segundo mandato de Lula
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página