Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/03/2008 - 09h42

Lei de Biossegurança foi aprovada de forma "ardilosa", diz ex-procurador

Publicidade

SILVANA DE FREITAS
da Folha de S.Paulo, em Brasília

Autor da ação contra as pesquisas com células-tronco embrionárias, o ex-procurador-geral da República Claudio Fonteles diz que o Congresso aprovou a Lei de Biossegurança "de maneira sub-reptícia, até ardilosa", sem debatê-la com a sociedade --apesar de a lei ter sido proposta em 2003 e só aprovada em 2005. Indagado sobre a expectativa do julgamento, ele desconversou. "O mais importante é que pudemos levar para o país o debate sobre essa questão."

*

FOLHA - Qual a sua expectativa quanto ao julgamento?
CLAUDIO FONTELES - O mais importante é que pudemos levar para o país o debate sobre essa questão. Isso foi muito bom, porque provocou debates nas universidades, na família, na imprensa.

FOLHA - O sr. acha que não houve essa discussão na fase legislativa?
FONTELES - Exatamente. O projeto foi aprovado de uma maneira sub-reptícia, eu diria até ardilosa. Em uma lei que não tem nada a ver com vida humana, mas com produção de alimentos, enxertou-se esse dispositivo.

FOLHA - A ação envolve uma discussão delicada sobre o momento em que começa a vida. Independentemente das questões de direito, se houver algum conflito entre o que a igreja prega e o que a ciência afirma, qual visão deve prevalecer?
FONTELES - Não vejo nenhum conflito. É um problema da ciência jurídica. Nós temos o princípio fundamental da dignidade da pessoa humana. Para fazer valer esse princípio, vem outro, que é a inviolabilidade da vida. Isso necessariamente remete o Judiciário a definir a vida. Aí ele não se basta. Precisa se socorrer de um diálogo multidisciplinar com outras ciências, como a medicina, a biologia, a genética. A nossa linha sustenta que no momento da fecundação tem-se a vida. Aí há outras correntes, que dizem, por exemplo, que começa quando o sistema nervoso se forma.

FOLHA - São duas posições distintas, e os ministros terão de fazer uma opção. Terão de levar em conta a questão religiosa?
FONTELES - Não é uma questão religiosa, é científica. A base da nossa posição é que, no ato de fecundar, surge uma célula chamada zigoto, que começa a se autodesenvolver. Tanto que já no segundo dia ela se biparte. Isso é o princípio da vida. O nosso raciocínio é extremamente lógico, científico.

FOLHA - Essa pesquisa não é bastante importante para curar doenças e salvar vidas?
FONTELES - A minha ação impede uma única linha de pesquisa, que é com o embrião humano. A medicina está mostrando que são possíveis pesquisas em muitas outras variáveis. O Estado tem de abrir as várias vertentes de pesquisa.

Comentários dos leitores
Julio Togni (1) 18/06/2009 14h32
Julio Togni (1) 18/06/2009 14h32
Parabéns aos pesquisadores da USP pela importante descoberta.
Lendo algumas opiniões abaixo sobre pesquisas com células-tronco não pude dexar de notar como, atualmente, é comum "malhar" a Igreja Católica como se ela fosse responsável por inúmeros males presentes no mundo.
Quanto ao assunto em questão, gostaria de expor, com maiúsculas: A IGREJA CATÓLICA NÃO É, NÃO FOI E NUNCA SERÁ CONTRA A PESQUISA COM CÉLULAS-TRONCO! É CONTRA A PESQUISA COM CÉLULAS-TRONCO EMBRIONÁRIAS ( E DEVE SER MESMO! ).
É muito importante que haja limites nas pesquisas científicas pois elas não são mais válidas quando realizadas com agressão à vida ou à dignidade de qualquer ser humano, inclusive daqueles que estão nos primeiros estágios de seu desenvolvimento.
Parabéns, novamente, à equipe da USP. E o meu desejo de que a continuidade na pesquisa com células-tronco adultas traga resultados mais espetaculares ainda.
3 opiniões
avalie fechar
Conforme relata a Bíblia, Deus fez Adão cair num sono profundo ( anestesia ), serrou-lhe as costelas ( fez uma cirurgia ) e multiplicando as células fez Eva e deu-lha a Adão.
Está aí uma comprovação científica do relato Bíblico.
Células troncos podem ser retiradas de adultos e transforma-las em qualquer órgão, osso, cartilagem e tecido.
Parabens aos cientístas da USP !
Tanto a medicina halopata, homeopática e a fitoterápica vem trazendo benifícios à humanidade, mas a mais promissora de todas é a fitorerápica, pois é ortomolecular.
Na flora da amazônia estão escondidos segredos da " fonte da juventude " ou no mínimo a longevidade de uma vida saudável, como era na antiguidade.
12 opiniões
avalie fechar
eduardo camillo (77) 18/03/2009 13h48
eduardo camillo (77) 18/03/2009 13h48
Novamente as células adultas caminhando a anos luz das embrionárias. E tem gente que num aprender... 34 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (727)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página