Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
16/12/2004 - 12h21

Novalgina deverá ser vendida somente com prescrição médica

Publicidade

da Folha Online

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) vai restringir a livre comercialização dos medicamentos Novalgina, Novalgina Relax e Vitalgina, à base de dipirona, produzidos pelo laboratório Aventis Pharma.

A proibição tem como base a determinação da 20ª Vara Federal do Distrito Federal, que entendeu, a partir de ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal, que a dipirona pode causar riscos à saúde.

A Justiça Federal decidiu que esses medicamentos deverão ser vendidos somente mediante prescrição médica. Em sua alegação, o Ministério Público disse que a dipirona é uma substância que "provoca funestas conseqüências decorrentes de sua alta toxicidade".

Entre os riscos à saúde apontados estão náuseas, vômito, hemorragia gastrointestinal e reações alérgicas, conforme estudos realizados pela Organização Mundial da Saúde, pelo Conselho Federal de Farmácia, pela Universidade de Brasília e pela Sociedade Brasileira de Vigilância de Medicamentos, segundo o processo.

A Anvisa alegou que a dipirona está no mercado mundial há 80 anos, sendo o analgésico e antitérmico mais usado no país. Disse, ainda segundo a Justiça Federal, que os riscos atribuídos à substância, "até esta data", são baixos.

Tarja vermelha

Com a medida, os três medicamentos deverão apresentar tarja vermelha nas embalagens.

A Anvisa tem até o dia 14 de janeiro para determinar a restrição de venda e alteração das embalagens dos medicamentos junto ao laboratório.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Novalgina
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Smart TV Smart TV Diversas ofertas a partir de R$ 856,11

    Notebook Notebook Trabalhe, estude, jogue, a partir de R$ 769,00

    Celulares | Tênis | Mais...

    Voltar ao topo da página