Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
16/11/2006 - 08h47

Modelo morta por anorexia se achava gorda com 46 kg

Publicidade

do Agora

A modelo Ana Carolina Reston Macan, que morreu anteontem, aos 21 anos, vítima de complicações provocadas pela anorexia nervosa, já havia declarado sete meses atrás que tinha perdido o controle e que havia parado de comer. "Às vezes ainda me acho gorda. Eu tenho uma imagem distorcida de mim", afirmou ela.

Durante uma entrevista concedida em abril deste ano ao Agora, a modelo afirmou que estava trabalhando no Japão quando a obsessão pela magreza começou a se tornar uma doença. Ela teve que ser internada e acabou voltando ao Brasil. "Eu pesava 46 kg, tenho 1,74 m, e ainda tomava remédio para emagrecer. Cheguei a pesar 42 kg", lembrou.

Reprodução
A modelo Ana Carolina Reston Macan, morta por anorexia nervosa
A modelo Ana Carolina Reston Macan, morta por anorexia nervosa
Depois de ter realizado o tratamento, a modelo voltou a pesar 46 kg e continuou freqüentando um psicólogo. O problema, entretanto, persistiu, e a modelo acabou sendo internada em 25 de outubro passado em decorrência de uma insuficiência renal.

Debilitada pela anorexia nervosa, a pressão arterial dela despencou, o que fez com que passasse a ter dificuldade para respirar. Seu quadro clínico evoluiu para uma infecção generalizada --e Ana Carolina acabou morrendo anteontem, quando pesava 40 kg. Seu corpo foi enterrado no cemitério de Pirapora do Bom Jesus, na Grande São Paulo.

A entrevista concedida pela modelo foi publicada na "Revista da Hora", do Agora, em 30 de abril deste ano.

Perfil

De acordo com a prima de Ana Carolina, Geise Strauss, 30, a modelo comia muito pouco --"gostava de maçã e tomate"-- e, em seguida, entrava no banheiro para vomitar. A modelo vítima de anorexia namorava Bruno Setti, de 19 anos, seu colega de profissão, e fazia bicos como promotora de casas noturnas.

Na internet, na página de relacionamentos Orkut, Ana Carolina cita "O Pequeno Príncipe", "Gabriela Cravo e Canela" e "Meu Pé de Laranja Lima" como livros preferidos. No item em que as pessoas mencionam os pratos preferidos, a modelo cita marcas de cozinha: "Prefiro as moduladas", ironiza.

Na noite de ontem, havia mais de 500 recados deixados no perfil de Ana Carolina com mensagens para seus familiares. A maioria dos textos era de pêsames, porém muitas afirmavam que o caso da modelo deveria servir como alerta para as demais meninas que exercem a profissão.

Casos famosos

Ocorrências de anorexia e bulimia podem ser encontrados no cinema, na música, no esporte e até em família real. A atriz Jane Fonda, por exemplo, conviveu com a anorexia dos 15 aos 40 anos. Ela conta que queria "agradar e ser perfeita", o que na época queria dizer "esquelética".

Na música, um dos exemplos mais conhecidos de problemas relacionados a distúrbios alimentares é o da cantora e baterista Karen Carpenter, que morreu em 1983, aos 32 anos, depois de ter sofrido um ataque cardíaco decorrente de anorexia. Ela formava com o irmão, Richard, o grupo The Carpenters, famoso nos anos 70.

Outro caso emblemático é o da princesa Diana (1961-1997), que assumiu que foi bulímica e anoréxica --e que já havia tentado cometer suicídio.

No esporte, a surfista brasileira Andréa Lopes, hoje com 31 anos, teve anorexia aos 20 anos. No auge da doença, chegou a pesar 38 kg --hoje ela tem 59 kg. "Todo mundo que vinha me oferecer comida era uma ameaça para mim. Tinha obsessão com o meu peso e só pensava em ser campeã mundial."

Ela começou a se tratar após insistentes pedidos da mãe, que chegou a ouvir na praia que a filha "deveria ter Aids".

Colaborou a Folha de S.Paulo

Leia mais
  • Sites de jovens fazem apologia da anorexia
  • Modelos jovens são principal alvo de acompanhamento da Unifesp
  • Saiba quais são os principais sinais da anorexia

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre anorexia

    Sites relacionados
  • Clique para ver uma entrevista dada pela modelo à TV UOL
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página