Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
10/06/2002 - 09h10

Jornalista foi torturado e morto com golpes de espada, diz polícia

Publicidade

da Folha Online
da Folha de S.Paulo, no Rio

O jornalista Tim Lopes, 51, da Rede Globo, foi torturado, morto e queimado. Segundo o chefe da Polícia Civil do Rio, Zaqueu Teixeira, Lopes foi assassinado por Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, líder da facção CV (Comando Vermelho), que teria usado uma espada do tipo ninja.

Reprodução

Repórter Tim Lopes
As informações foram dadas à polícia por Fernando Satiro da Silva, 25, o Frei, e Reinaldo do Amaral de Jesus, 25, o Cadê, que pertencem à quadrilha de Elias Maluco. Os dois foram presos na manhã de ontem, durante operação da polícia no morro da Caixa D'água, na Penha, zona norte do Rio.

O jornalista desapareceu há oito dias, quando fazia reportagem sobre baile funk e venda de drogas na favela Vila Cruzeiro, também na Penha.

Os suspeitos detidos negaram participação no crime, mas revelaram "com riqueza de detalhes" a morte do jornalista. "Eles disseram que sabem do que aconteceu de ouvir dizer. Mas é um ouvir dizer com muita precisão, e isso nos faz acreditar que eles estavam na cena do crime", afirmou Teixeira.

O delegado-titular da 38ª DP (Brás de Pina), Reginaldo Guilherme, disse que Lopes estava no baile funk na Vila Cruzeiro quando foi abordado por um segurança do tráfico e levado até Maurício Martins, o Boi, do CV. "Lopes foi reconhecido, pois já havia estado lá outras vezes. Eles encontraram a microcâmera que o jornalista escondia na pochete", afirmou o delegado.

Boi teria ligado para Elias Maluco. O chefe do CV teria ordenado que Lopes fosse levado para a favela da Grota, no Complexo do Alemão. De acordo com o relato, o jornalista teve as mãos amarradas para trás e foi levado de carro para o topo da favela, onde levou um tiro no pé, para não fugir.

Em entrevista na delegacia, Frei disse que Lopes foi submetido a um julgamento. Elias Maluco, Boi, André da Silva Barbosa, o André Capeta, e Ratinho teriam participado. "Ele [Elias Maluco] abriu a barriga de Lopes com um golpe de espada. Depois o colocaram dentro de pneus e queimaram o corpo", contou o titular da 38º DP.

O corpo estaria enterrado ao lado do local onde foi queimado. De acordo com o delegado, Elias teria feito questão de matar Lopes por causa da reportagem "Feira das Drogas", exibida pelo "Jornal Nacional" em julho. Lopes filmou traficantes vendendo cocaína e maconha na entrada da favela da Grota. Pela reportagem, Lopes recebeu o Prêmio Esso de Telejornalismo de 2001.

Leia mais:
  • Saiba quem foi o jornalista Tim Lopes


  • Para OAB, Tim Lopes é "mártir da sociedade"


  • Polícia trabalha para prender assassinos de repórter, diz Benedita


  • Leia nota da TV GLobo sobre a morte do jornalista Tim Lopes


  • Ministro desloca agentes da PF para prender assassinos de Tim Lopes


  • Polícia do Rio confirma o assassinato do jornalista Tim Lopes


  • Polícia do Rio prende suspeitos pelo desaparecimento de repórter


  • Rio já recebeu 51 denúncias sobre paradeiro de jornalista da Globo


  • Desaparecimento de jornalista da Globo gera preocupação internacional
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Smart TV Smart TV Diversas ofertas a partir de R$ 856,11

    Notebook Notebook Trabalhe, estude, jogue, a partir de R$ 769,00

    Celulares | Tênis | Mais...

    Voltar ao topo da página