Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
27/12/2002 - 19h08

Municípios com menor IDH estão nas regiões Nordeste e Norte

da Folha Online

Das cem localidades com o IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) mais alto do país, apenas quatro não estão localizados nas regiões Sul e Sudeste: o arquipélago de Fernando de Noronha e Brasília. Do outro lado da lista, os cem municípios com menor índice estão nas regiões Nordeste e Norte.

O Novo Atlas de Desenvolvimento Humano do Brasil foi divulgado hoje em Brasília.

O IDH foi criado originalmente para medir o nível de desenvolvimento humano dos países a partir de indicadores de educação (alfabetização e taxa de matrícula), longevidade (esperança de vida ao nascer) e renda (PIB per capita).

O índice varia de zero (nenhum desenvolvimento humano) a 1 (desenvolvimento humano total). Países com IDH até 0,499 têm desenvolvimento humano considerado baixo; os países com índices entre 0,500 e 0,799 são considerados de médio desenvolvimento humano; países com IDH maior que 0,800 têm desenvolvimento humano considerado alto.

A Noruega é o país com maior IDH e Serra Leoa com o menor índice. O Brasil ocupa a posição de número 73, dos 173 países que servem de base para o índice.

Estados e municípios

Os cinco municípios com maior IDH são: São Caetano do Sul (SP), com 0,919, Águas de São Pedro (SP), com 0,908, Niterói (RJ), com 0,886, Florianópolis (SC), com 0,881, e Monte Belo do Sul (RS), com 0,874.

Os cinco municípios com menor índice são: Araioses (MA), com 0,486, Traipu (AL), com 0,479, Guaribas (PI), com 0,478, Jordão (AC), com 0,476, e Manari (PE), com 0,467.

Os cinco Estados com os maiores IDH-M no país são, respectivamente, Distrito Federal (0,844), São Paulo (0,814), Rio Grande do Sul (0,809), Santa Catarina (0,806) E Rio de Janeiro (0,802).

Os cinco IDH-M mais baixos são Alagoas (0,633), Maranhão (0,647), Piauí (0,673), Paraíba (0,678) e Sergipe (0,687).

Em 2000, como ocorreu em 1991, nenhum Estado ficou na faixa de baixo desenvolvimento humano.

De acordo com o documento, os Estados que mais aumentaram o índice no período foram Ceará (que passou de 0,597 para 0,699), Alagoas (que passou de 0,535 para 0,633), Maranhão (que passou de 0,551 para 0,647).

Os que menos cresceram foram Distrito Federal (de 0,798 para 0,844), São Paulo (de 0,773 para 0,814) E Roraima (de 0,710 para 0,749).

Os números refletem, parcialmente, o fato de que é mais difícil crescer a partir de um patamar mais alto que de um mais baixo.

Leia mais:

  • Veja a classificação por municípios
  • Veja relação do Índice de Desenvolvimento Humano nos Estados
  • Melhora Índice de Desenvolvimento Humano dos municípios do país
  • Educação é responsável por 60,78% do aumento do IDH-M no país
  • Diferenças entre negros e brancos ainda são acentuadas, mostra IDH
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Fogão Fogão Encontre o perfeito para você, a partir de R$ 256,41

    Notebook Notebook Trabalhe, estude, jogue, a partir de R$ 769,00

    Celulares | Tênis | Mais...

    Voltar ao topo da página