Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
29/04/2010 - 16h15

Justiça aceita acusação de pedofilia contra padre em Franca (SP)

Publicidade

da Folha Ribeirão

O juiz da 2ª Vara Criminal de Franca, Wagner Carvalho Lima, aceitou nesta quinta-feira a denúncia oferecida pelo promotor José Lourenço Alves contra o padre José Afonso Dé, da paróquia São Vicente de Paulo, de Franca (400 km de São Paulo), pela suposta prática de crimes sexuais contra oito adolescentes que atuavam como coroinhas.

Padre de Franca será convocado pela CPI da Pedofilia
Diocese de Franca vai comunicar Vaticano sobre acusação de pedofilia
Padre é indiciado em Franca por suspeita de estupro e ato libidinoso

O promotor se baseou no inquérito policial que indiciou o padre de 74 anos por estupro de vulnerável e violência sexual mediante fraude. Os jovens ajudavam o padre nas missas ou estavam sendo preparados para a vocação sacerdotal.

Segundo o promotor, "essa autoridade e ascendência do padre sobre os adolescentes é causa de aumento da pena a ser eventualmente aplicada".

Nos primeiros depoimentos à polícia, os menores afirmaram que os abusos aconteceram na casa paroquial --disseram que o padre os beijava e tocava seus genitais.

Segundo o bispo da Diocese de Franca, dom Pedro Luiz Stringhini, a Nunciatura Apostólica --equivalente a uma embaixada do Vaticano no Brasil-- já foi notificada. Sobre a denúncia feita pela Promotoria, o bispo preferiu não falar.

Afastado da atividade eclesiástica desde o final de março, o padre Dé negou ter abusado dos menores e disse que, talvez, seu jeito afetivo de ser, tenha sido mal interpretada.

Agora, o juiz vai abrir prazo para a defesa do padre se manifestar. Eduardo Caleiro, advogado do padre, não quis se pronunciar. Disse apenas que vai esperar a notificação.

O padré Dé também vai sei ouvido pela CPI da Pedofilia, em data a ser marcada pelos senadores.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página