Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/05/2003 - 04h20

Sindicato dos motoristas e cobradores de SP compra hotel de R$ 1,3 mi

da Folha de S.Paulo

A atual diretoria do sindicato dos motoristas e cobradores prega aos associados ter feito uma revolução no "padrão de vida" da entidade nos últimos dois anos, quando se filiou à Força Sindical.

A principal "vitrine" da gestão de Edivaldo Santiago Silva será inaugurada com uma festa no segundo semestre deste ano, às vésperas das eleições do sindicato. A entidade comprou, por R$ 1,3 milhão, o hotel Vale dos Girassóis, em Santa Isabel (a 58 km de SP), localizado no bairro Ouro Fino.

O empreendimento tem 29 quartos, três piscinas, uma das quais aquecida, campo de futebol, sauna e cachoeira artificial. Embora a inauguração oficial aconteça somente no segundo semestre, o hotel está aberto para quem quiser, inclusive para os não-sócios, que pagam diária de R$ 120 (casal), com direito a três refeições.

De acordo com informações da gerência do hotel, sindicalizados pagam durante a estadia somente as refeições. O valor das diárias é debitado na folha de pagamento, com descontos.

Os condutores também têm um balneário na Praia Grande (litoral sul) e uma colônia de férias em Caraguatatuba (litoral norte) para as atividades de lazer. A Força afirma que as aquisições ocorreram na época em que o sindicato era filiado à CUT (Central Única dos Trabalhadores). O Ministério Público do Trabalho, em fevereiro deste ano, chegou a atribuir a dificuldade para a cobrança de multas contra a entidade, em razão de greves abusivas, à falta de patrimônio do sindicato -informação negada por Silva.

Segundo a Folha apurou, a compra do hotel em Santa Isabel chegou a ser alvo de críticas na diretoria em razão das dívidas. A atual gestão diz ter assumido a entidade, no final de 2000, com débitos que beiravam R$ 8 milhões. Hoje, segundo um dos diretores, restaria R$ 1,5 milhão a pagar.

O presidente do sindicato diz ter pago as dívidas e reformado a sede do sindicato na Liberdade (pintura, limpeza, informatização e colocação de câmeras) com a contribuição obrigatória da categoria -R$ 18 mensais pagos pelos motoristas e R$ 10 pelos cobradores. Ele atribui o saneamento financeiro a uma "administração equilibrada".

Reeleição

Silva ainda não divulgou se pretende tentar a reeleição nas eleições deste ano. Os diretores dizem que haverá uma sondagem da categoria para saber a atual aceitação dele, para só depois definir quem sairá candidato.

Como principais conquistas dos dois últimos anos, eles elegem a redução da jornada de trabalho de sete horas e dez minutos para sete horas e a conquista do plano de saúde individual.

Com Folha Online


Leia mais
  • Motorista nega irregularidade e faz ameaça
  • Sindicalista tem casa de R$ 380 mil em Itu
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Geladeiras Geladeiras Frost Free, Duplex, a partir de R$ 862,20

    Notebook Notebook Trabalhe, estude, jogue, a partir de R$ 769,00

    Celulares | Tênis | Mais...

    Voltar ao topo da página