Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/05/2008 - 21h36

Câmara de Representantes dos EUA aprova texto para conter crise imobiliária

Publicidade

da France Presse, em Washington

A Câmara de Representantes dos Estados Unidos aprovou nesta quinta-feira um projeto de lei cujo objetivo é conter as execuções de imóveis, devido à crise dos créditos "subprime", que foi ameaçado de veto pelo presidente George W. Bush.

Por 266 votos contra 154, a Câmara de maioria democrata ratificou a proposta, cujo texto cria um fundo de US$ 300 bilhões para garantir os créditos renegociados por proprietários endividados.

"Este texto ampliará (um programa federal) para que os devedores que estão correndo o risco de perder suas casas possam renegociar seus créditos, com o objetivo de que custe menos para eles e seja garantido pelo governo, para que tenham como pagar", explicou o chefe da maioria democrata na Câmara, Steny Hoyer.

Já o líder da bancada republicana, John Boehner, afirmou que 'os democratas obrigam os proprietários responsáveis e os contribuintes a pagar uma conta de US$ 300 bilhões para salvar vigaristas, especuladores e devedores irresponsáveis (...), é um enfoque perigoso que ameaça o sonho americano de acesso à prosperidade'.

O presidente Bush anunciou na quarta-feira que vetaria o texto.

"Queremos um bom projeto de lei sobre as moradias que ajude as pessoas a ficarem com suas casas, e não um projeto de lei que recompense especuladores e organismos de crédito", disse Bush.

O Senado trabalha paralelamente em outra versão de um texto sobre a crise imobiliária, embora o presidente democrata da comissão de assuntos bancários, Chris Dodd, tenha classificado o trabalho da Câmara como um "sinal claro dirigido aos americanos e à Câmara de que o Congresso se compromete a ajudar as pessoas a conservar suas casas e estabilizar os mercados".

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página