Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
29/05/2008 - 15h26

Lula pede em El Salvador para empresários investirem no campo

Publicidade

da Efe, em San Salvador (El Salvador)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o chefe de Estado de El Salvador, Elías Antonio Saca, inauguraram nesta quinta-feira o segundo encontro de empresários brasileiros e dos países que fazem parte do Sica (Sistema para Integração Centro-Americana).

Ambos levaram uma mensagem comum aos empresários de voltar as atenções para o campo.

Lula, que faz uma visita de Estado a El Salvador, afirmou aos empresários brasileiros e centro-americanos presentes que é possível manter os planos traçados de desenvolvimento bioenergético, sem ameaçar a segurança alimentar da região.

O Brasil, afirmou, quer demonstrar que é possível manter políticas energéticas de geração de biocombustíveis sem ameaçar a produção alimentícia, em alusão à matéria-prima comum, principalmente cana-de-açúcar e milho --base da alimentação regional.

O aumento da produção é a chave para atender a dois mercados nos quais, a curto prazo, Brasil e América Central podem unir esforços.

"Este é o momento para que os países pobres se ajudem mutuamente e vejam por seus interesses comuns", disse Lula na inauguração do 2º Fórum de Negócios Brasil-Sica, que reúne cerca de 150 empresas centro-americanas e outras 45 brasileiras.

O presidente de El Salvador, por sua parte, responsabilizou o alto preço do petróleo pelo encarecimento dos alimentos, mas identificou uma nova oportunidade de desenvolvimento para o campo.

"O preço do petróleo definiu um novo cenário e a alta nos preços de alimentos deve ser encarada como um incentivo para os agricultores e os empresários que queiram explorar o campo como uma nova fonte de riqueza", ressaltou o presidente salvadorenho.

Segundo Saca, todos os chefes de Estado da região consultados coincidem em que "esta é uma nova oportunidade para a agricultura."

"O mais importante é produzir e impulsionar um novo comércio entre nós", apontou.

O fórum, complemento da visita de Estado de Lula, pretende "contribuir ao estabelecimento de uma plataforma que permita aumentar o investimento de empresas brasileiras na região, promover a troca comercial e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento socioeconômico em nossos países."

O primeiro encontro de empresas brasileiras e centro-americanas ocorreu na Guatemala em setembro de 2005, durante uma visita de Lula ao país.

O Sica tem como países-membros Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua, Costa Rica e Panamá, e como Estado associado a República Dominicana, cujo presidente também viajou a San Salvador.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página