Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/10/2004 - 15h45

Carga tributária cresce de 36,91% para 38,11% do PIB, diz IBPT

Publicidade

da Folha Online

A carga tributária brasileira --somatória da arrecadação de todos os tributos federais, estaduais e municipais-- atingiu 38,11% do PIB (Produto Interno Bruto) no primeiro semestre deste ano. No mesmo período de 2003, a carga tributária representou 36,91% de toda a riqueza produzida no país, segundo estudo divulgado hoje pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário).

O cálculo da carga tributária levou em conta o PIB do primeiro semestre, que atingiu R$ 816,8 bilhões, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). No mesmo período de 2003, o PIB totalizou R$ 723,5 bilhões.

O estudo mostra que o aumento da carga tributária foi puxado, principalmente, pela arrecadação de tributos federais.

Do total arrecadado no primeiro semestre, 68,57% corresponderam à receita com tributos federais, 25,68% com impostos estaduais e 5,75% foram municipais.

Em valores nominais, os tributos federais totalizaram R$ 213,44 bilhões no primeiro semestre. No mesmo período, os impostos estaduais alcançaram R$ 79,94 bilhões e os municipais, R$ 17,90 bilhões.

A carga tributária per capita do primeiro semestre de 2004, em comparação ao mesmo período do ano anterior, apresentou, sem descontar a inflação, um crescimento de 14%. Para o ano, a previsão é de aumento nominal de 16%.

Dessa forma, segundo o IBPT, cada brasileiro deverá pagar de tributos em 2004 um valor de R$ 3.589,14. Em 2003, cada um pagou, em média, R$ 3.092,47 em impostos.

Leia mais
  • Receita contesta dados do IBPT

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre carga tributária
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página