Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
10/11/2004 - 19h25

Livros devem ficar mais baratos com isenção fiscal

Publicidade

EDUARDO CUCOLO
da Folha Online, em Brasília

Os livros brasileiros entraram na lista dos produtos que vão ficar livres de impostos e contribuições. O governo federal e o Congresso Nacional estão preparando uma série de medidas com o objetivo de reduzir preços e aumentar as vendas de livros no país.

Hoje, os livros estão isentos de impostos, mas são tributados pelas contribuições sociais: PIS/Pasep e Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social).

Pela proposta que está sendo preparada, as editoras vão ficar livres do pagamento desses tributos, que são hoje de 9,25% para grandes empresas e de 3,65% para as pequenas.

A estimativa é que o preço de livro caia gradualmente nos próximos três anos, até resultar em uma redução de 10% no preço para o leitor. Essa queda, no entanto, depende não só da redução das contribuições, mas também de um aumento nas vendas para diluir os custos das editoras e livrarias.

Isso deve representar uma queda de arrecadação de R$ 160 milhões por ano. Porém, há a expectativa de que o MEC (Ministério da Educação e Cultura) reduza em R$ 55 milhões o seu gasto anual com a compra de livros.

Além disso, será criado o Fundo Pró-Leitura, que terá recursos aplicados em programas de popularização da leitura e deve arrecadar R$ 45 milhões por ano.

Ainda não está definido qual tipo de medida legal será tomada, o que será decidido nos próximos dias pelo presidente do Senado, José Sarney.

De qualquer maneira, o projeto já tem o aval do Ministério da Fazenda e da Receita Federal.

O anúncio da proposta foi feito hoje, em cerimônia que reuniu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do Senado, José Sarney, e os ministros Antonio Palocci (Fazenda), Gilberto Gil (Cultura) e Tarso Genro (Educação), além de vários escritores e representantes de editoras e livrarias.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre isenção fiscal
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página