Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
30/08/2005 - 09h30

Serra libera anúncio em uniforme escolar

Publicidade

RENATA BAPTISTA
FABIANE LEITE
da Folha de S.Paulo

O prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB), decidiu permitir que os uniformes escolares da rede pública municipal de ensino tenham propagandas.

Segundo a proposta, em troca da publicidade, as empresas vão bancar a compra das roupas dos 900 mil alunos beneficiados. O kit escolar incluirá agasalho, calça, meias e até roupa íntima, num total de nove peças.

A medida será viabilizada por meio de um acordo com a Abravest (Associação Brasileira do Vestuário), que irá procurar patrocinadores para os kits.

O coordenador da ONG Ação Educativa, Sérgio Haddad, afirmou que considera a idéia uma "invasão do setor privado no espaço público".

"A melhor maneira de as empresas ajudarem é pagando os seus impostos. Ou financiando projetos específicos. Alguém perguntou para as crianças?"

Segundo o secretário da Educação, José Aristodemo Pinotti, alunos, professores e pais não foram consultados formalmente. Pinotti diz ter feito uma pesquisa informal com as crianças em três escolas que visitou recentemente. Recebeu a "aprovação" depois de dizer que, com os R$ 70 milhões que gasta por ano com as roupas, fará mais escolas. "Eu estou favorável desde que isso não agrida as crianças", disse Pinotti.

O promotor da Infância e da Juventude Vidal Serrano disse que o órgão acompanhará a mudança e afirma não haver irregularidade, desde que não haja exagero na propaganda. O Estatuto da Criança e do Adolescente proíbe que os menores sejam expostos a situações vexatórias.

Serra acredita que não dará tempo para que os uniformes patrocinados sejam entregues no primeiro semestre do próximo ano. Por esse motivo, a aquisição dos uniformes de verão para o início do ano letivo de 2006 ficará ainda por conta da prefeitura. Os novos, com propaganda, seriam distribuídos no segundo semestre, com roupa de inverno.

"Essa campanha da Abravest para arrecadar recursos entre seus associados pode ter sucesso total ou parcial, ou ainda não dar certo", disse Serra.

Já o presidente da Abravest, Roberto Chabad, acha que será possível captar os recursos para doação dos kits escolares já para o início do próximo ano. Segundo ele, os alunos do último ano de moda da FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas) entregarão protótipos de uniformes até a próxima sexta-feira, que serão enviados à prefeitura para seleção.

"Já entramos em contato com bancos, supermercados, Fiesp e redes de telefonia para saber se têm interesse em fazer a propaganda nas roupas", afirmou.

De acordo com Chabad, os locais destinados à propaganda nos uniformes provavelmente serão nas duas mangas da camisa e na coxa da perna direita. "O prefeito viu e achou muito sutil."

De acordo com Pinotti, a prefeitura vetou propagandas de cigarros e bebidas e terá de aprovar todos os patrocinadores.

O presidente do Sinpeem (Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo), Cláudio Fonseca, disse ser contrário à utilização de propagandas nos uniformes escolares.

"Os alunos não devem ser usados como outdoors." Segundo Fonseca, a economia que a prefeitura vai conseguir com a medida não é justificada. "Existem recursos orçamentários destinados a este fim", disse.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre uniformes escolares
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página