Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
12/09/2002 - 08h24

Veja como funcionam os anticoncepcionais de uso contínuo

Publicidade

da Folha de S.Paulo

Os anticoncepcionais hormonais de uso contínuo prometem cessar o sangramento menstrual. Porém em cerca de 30% a 40% das mulheres ou a menstruação continua em menor quantidade, ou ocorrem sangramentos irregulares, dependendo do tipo utilizado. Os dados são da Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

No caso do implante subcutâneo, 60% das usuárias apresentam amenorréia (suspensão da menstruação) após três meses de uso. Os 40% restantes podem passar a sangrar menos, e algumas menstruam irregularmente, o que pode levar as usuárias a pensarem que o medicamento não está fazendo efeito como contraceptivo. Mas, dizem os médicos, é uma reação individual que não compromete a eficácia. Com o DIU de progesterona, cerca de 70% das mulheres apresentam amenorréia após seis meses de uso, e 30% delas menstruam muito pouco.

Enquanto não surgem estudos conclusivos correlacionando esses medicamentos com a melhoria dos desconfortos do ciclo, a Febrasgo decidiu por uma posição oficial. "A supressão da menstruação só deve ser feita se houver indicação médica precisa", diz o presidente da entidade, Edmundo Baracati. Entre elas estão o tratamento da endometriose e de miomas.

Leia mais:

  • "Pílulas" modernas atraem quem não quer menstruar

  • Conheça os contraceptivos de última geração disponíveis no Brasil

  • Número de menstruações aumentou 900% nos dois últimos séculos


  • Leia mais no especial Saúde da Mulher
     

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    TV LED TV LED Smart, HDMI, Full HD a partir de R$ 899,90

    Geladeira Geladeira Side By Side, Duplex, Frost Free a partir de R$ 849,00

    Home Theater | Tênis | Mais...

    Voltar ao topo da página