Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
16/08/2001 - 12h12

Planta que promete aumentar libido é testada no Brasil

Publicidade

da Folha de S.Paulo

Uma planta de origem indiana começa a atrair a atenção de pesquisadores, inclusive brasileiros. Considerada afrodisíaca e conhecida pelos europeus desde o século 17, a Tribulus terrestris está sendo testada, pela primeira vez no Brasil, em pacientes com falta de libido, acompanhada ou não por disfunção erétil.

O autor da pesquisa é o ginecologista Décio Luiz Alves, do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

A idéia de testar o novo fitoterápico surgiu depois que Alves avaliou um estudo sobre a eficácia da planta que envolveu 45 homens -saudáveis e diabéticos- e foi realizado na Indonésia, em 1998. O uso da medicação proporcionou uma melhora significativa -de até 65%- no desempenho sexual dos participantes.

Segundo Alves, a Tribulus terrestris provoca vasodilatação, o que pode explicar seus efeitos sobre a ereção. A planta também aumenta os níveis de testosterona no organismo. Esse hormônio masculino é responsável, em parte, pelo desejo sexual tanto de homens como de mulheres. Por isso, em casos de diminuição da libido, a planta pode ser usada em ambos os sexos.

No Brasil, o fitoterápico está sendo testado em um grupo de 17 pessoas. Das 14 mulheres que participam do estudo, 13 estão satisfeitas com o resultado. Os resultados também foram positivos em dois dos três homens do grupo.

Por enquanto, não há registros de efeitos colaterais decorrentes do uso desse medicamento natural. Alves alerta, porém, que o tratamento exige supervisão médica para apresentar os resultados desejados.

O médico aposta no crescimento do uso de fitoterápicos para disfunções sexuais e outros problemas de saúde. "Esse processo já está acontecendo na Europa como forma de melhorar a qualidade de vida das pessoas", acrescenta o urologista Joaquim de Almeida Claro, que acabou de participar de um grupo de estudo da Unifesp sobre o uso de ginseng coreano importado em casos de disfunção erétil. Os resultados também foram positivos.

Para Claro, investir em fitoterápicos é vantajoso para o Brasil. "Nossa flora é diversificada, e os povos indígenas têm tradição no uso das plantas medicinais.

Além disso, esse tipo de medicamento é muito mais barato e, portanto, acessível à população." Segundo os especialistas, os fitoterápicos apresentam menos efeitos colaterais, em comparação com os medicamentos tradicionais, e são mais bem aceitos pelos pacientes pelo fato de serem naturais.

A Tribulus terrestris pode ser encontrada em farmácias de manipulação, mas as cápsulas só devem ser adquiridas após aconselhamento médico.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página