Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
15/02/2002 - 04h19

Disco traz George Harrison e "Anna Julia"

Publicidade

MARCELO VALLETTA
free-lance para a Folha

No final do ano passado, a notícia de que George Harrison, ex-guitarrista dos Beatles, havia participado da gravação de uma versão em inglês para a canção "Anna Julia", sucesso do conjunto carioca Los Hermanos, causou estranheza a muita gente.

Agora, um dos últimos registros da guitarra de Harrison, que morreu em novembro de 2001, chega às lojas brasileiras dentro do álbum "Living on the Outside", do roqueiro Jim Capaldi, 57, ex-baterista do Traffic, uma das bandas britânicas de grande sucesso no início dos anos 70.

"Quando ouvi "Anna Julia", achei a canção simples, do jeito que o rock deve ser", diz Capaldi, por telefone, do Rio, onde passou o Carnaval com a família. "Notei a influência dos Beatles, por isso quis que George participasse. Ele gostou muito da música."

De 95 para cá, Capaldi estava colaborando com o futuro álbum de Harrison, que não chegou a ser completado. "Compusemos duas canções juntos, "Love's Got a Hold on me" e "Doing the Bonzo Dog", que ficaram gravadas apenas como demos. Foi uma pena ele ter ficado doente. George tinha um senso de humor enorme."

Mas a relação de Capaldi com a MPB não se limita a "Anna Julia". O músico, que se casou com uma brasileira e visita o país desde 1974, já verteu para o inglês canções como "Eu Quero" e "Olhos Coloridos", sucessos nas vozes de Tim Maia e Sandra de Sá, respectivamente.

Capaldi também já gravou com músicos como Dadi (Novos Baianos, A Cor do Som) e Vinícius Cantuária, além de ter tocado com Jorge Ben Jor em Londres. "Jorge Ben e Tim Maia são os meus músicos brasileiros favoritos. Jorge é o Richie Havens brasileiro, e Tim é o James Brown."

O cantor também compôs, em parceria com Steve Winwood, ex-líder do Traffic, uma música em homenagem ao sindicalista Chico Mendes, morto em 88. "Chama-se "Hear me Crying" e ainda não foi lançada", conta. A preocupação ecológica é tema das letras de Capaldi há mais de 30 anos.

Atualmente, o músico, em uma postura conservadora, afirma estar decepcionado com a música popular dos anos 2000. "Depois do punk, do rap e da música eletrônica, eu perdi minha fé em uma cena saudável para o rock. Se escuto rádio hoje, fico chocado." Lembrando os anos 60, Capaldi elege "What's Going On", de Marvin Gaye, e "Astral Weeks", de Van Morrison, como seus discos favoritos e declara que a época mais gloriosa de sua carreira foi quando o Traffic excursionou com Jimi Hendrix. "Hendrix é o artista mais incrível do rock. Nunca mais surgirá alguém como ele. Ele era o rei. Tinha a competência musical de Eric Clapton, o espírito poético de Bob Dylan e o sex appeal de Mick Jagger."


Leia a nossa opinião sobre o CD na Crítica Online
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página