Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
24/05/2006 - 13h19

Igreja Anglicana acusa Madonna de usar "ofensa" para promoção

Publicidade

da Folha Online

Com um cenário que critica o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e coreografias com forte apelo sexual e que incluem até uma crucificação, a nova turnê da estrela pop Madonna trouxe escândalos de volta aos palcos.

A artista de 47 anos faz a sua primeira turnê em dois anos. Na estréia dessa nova excursão, em Los Angeles, foram duas horas de música e coreografia. Descendo dos céus, braços em cruz e usando uma coroa de arame farpado, Madonna cantou a balada "Live To Tell" enquanto o cenário exibia rostos de crianças sofrendo.

Chris Pizzello/AP
Madonna apresenta "Get Together", na "Confessions Tour", clique para ver mais fotos
Madonna apresenta "Get Together", na "Confessions Tour", clique para ver mais fotos
A Igreja Anglicana expressou sua repulsa. "Por que alguém com tanto talento tem a necessidade de se promover ofendendo tanta gente?", perguntou um porta-voz em comunicado divulgado em Londres. Para David Muir, da Aliança Evangélica de Londres, "o uso feito por Madonna do imaginário cristão é um abuso e é perigoso".

Os que foram ao show pareceram não ter a mesma opinião durante as duas horas de música, que reuniram temas clássicos e canções de seu último álbum. "Não sei como alguém se ofende por algo assim. É Madonna", rebateu Marlene Von Arx, uma das espectadoras da estréia --que, assim as outras apresentações da turnê, teve as entradas esgotadas.

"Mais que uma blasfêmia, aparentemente é uma tentativa de compreender o que há de tão provocador nesta imagem", ponderou a crítica do jornal "Los Angeles Times".

O currículo de "ofensas" de Madonna é quase tão longo quanto a discografia de uma cantora que em 1989 foi considerada uma "pecadora" pela Igreja Católica após o lançamento do videoclipe "Like a Prayer", que exibia um Cristo negro e cruzes sendo queimadas.

Para os devotos de Madonna, a única ofensa da turnê foram os preços --entre US$ 180 e US$ 380. "Fora os US$ 30 para estacionar e outros US$ 30 pelo programa. Madonna é avarenta. Depois, não poderá reclamar se o seu álbum for pirateado", continuou a fã Marlene Von Arx.

Com Efe

Leia mais
  • Madonna confirma shows no Japão
  • Ex-Spice Girl dá nome de Madonna à sua primeira filha
  • Madonna estréia turnê "Confessions" em Los Angeles; veja fotos
  • Madonna libera imagem do ensaio geral da "Confessions Tour"

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Madonna
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página