Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
30/05/2006 - 11h00

"Laboratório do Escritor" desvenda produção de autores no Rio

Publicidade

da Folha de S.Paulo, no Rio

Eventos com autores falando sobre como escrevem existem aos montes. Mas, segundo as jornalistas Cristiane Costa e Valéria Lamego, "Laboratório do Escritor", série que começa hoje no CCBB do Rio, quer ir além e abrir a "caixa preta" da produção literária.

"Eventualmente, você vê nos encontros o escritor falar de seu processo de criação, mas não de forma sistematizada. A gente achava que havia uma grande curiosidade do público sobre como se dá esse processo, desde a hora em que o escritor teve a idéia de um determinado livro até o momento em que tem de lidar com editores, críticos e o sucesso ou o fracasso", explica Cristiane Costa.

O primeiro a enfrentar o roteiro de perguntas das duas jornalistas -e também escritoras- será Milton Hatoum, amazonense radicado em São Paulo. Um dos principais romancistas contemporâneos do país, ele fala hoje, a partir das 18h30, sobre os livros "Relato de um Certo Oriente" (1989), "Dois Irmãos" (2000) e "Cinzas do Norte" (2005), além do que está produzindo a respeito de lendas amazônicas para uma coleção internacional. Os próximos nomes da série são Luiz Alfredo Garcia-Roza (6 de julho), Silviano Santiago (3 de agosto), Luiz Vilela (19 de setembro), João Ubaldo Ribeiro (5 de outubro) e Lygia Bojunga (9 de novembro).

"Uma de nossas preocupações era representar com a escolha desses autores a diversidade da nossa literatura contemporânea. A literatura brasileira atual é extremamente rica e diversa, rompeu com a idéia de geração, libertou-se do crivo político e da "igrejinha estética", parafraseando Mário de Andrade", afirma Lamego. As organizadoras enfatizam que o "laboratório do escritor" não se restringe ao período de produção de um livro, mas se estende ao momento em que a obra se torna pública, passando pelo contato com os editores.

"A relação com a crítica, por exemplo, é uma boa discussão. Nossos autores escrevem para o grande público ou para os críticos e o público mais qualificado? Além disso, cada vez mais, editores palpitam em títulos, sugerem cortes para melhorar o ritmo narrativo e até apontam falhas de continuidade. Às vezes o escritor precisa desse segundo olhar", diz Costa.

Laboratório do Escritor
Quando: começa hoje, às 18h30, com Milton Hatoum
Onde: Centro Cultural Banco do Brasil do Rio (r. Primeiro de Março, 66, centro, tel. 0/xx/21 3808-2020)
Quanto: entrada franca

Leia mais
  • CCBB-Brasília expõe gravuras eróticas de Pablo Picasso
  • CCBB abre exposição sobre história dos povos da América

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre o CCBB
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página