Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/11/2006 - 22h36

Drag Silvetty Montilla difunde bordões do mundo GLS

Publicidade

SÉRGIO RIPARDO
Editor de Ilustrada da Folha Online

Ninguém conhece o ator Silvio Cássio Bernardo, mas ele pode ser considerado peça-chave na "indústria" do lazer criada para o público gay em São Paulo. À noite, Silvio se transforma em Silvetty Montilla, uma caricata chamada de "rainha da noite" que anima bares, boates e saunas em shows pela capital e em outros Estados.

São 18 anos de carreira. Silvetty conhece cada segredo dos bastidores do mundo gay de São Paulo como a palma de sua mão. Não há um clube em que ela não tenha se apresentado ou freqüentado. Faltava a Ultralounge, nos Jardins, onde fez show no começo do mês. É famosa entre os gays de casas noturnas mais caras como dos clubes mais baratos.

A popularização do vocabulário do universo gay deve muito a Silvetty. Seus bordões como o 'E aí?', 'Adorando', 'tá boa?', 'tô bonita', 'tô colocada, mona', 'tô louca do meu c..'. conseguem ultrapassar classes sociais e as fronteiras do Estado. Ela também é chamada cada vez mais para animar festas heterossexuais, até chá de bebê.

É hoje o maior cachê entre os atores da noite gay, segundo donos das casas em que se apresenta. Recebe até R$ 250 por show de menos de uma hora, enquanto uma caricata principiante ganha no mínimo R$ 50. Seu estilo de conversar com as "vítimas" escolhidas na platéia é imitada por diversas drags.

Suas brincadeiras servem como um termômetro. Se uma personagem de uma novela da Globo faz sucesso, tenha certeza de que Silvetty fará uma piada ou comentário, que vai se espalhar pela cidade como um spam. A língua de Silvetty é implacável. Politicamente incorreta, ela não teme nem ser apontada como racista ("Eu brinco e posso brincar porque eu sou negro.").

Durante a parada gay de São Paulo, Silvetty comanda o principal trio do evento, arrastando mais de 2,5 milhões. Neste ano, filas imensas se formaram para ver seu show no "Gay Day" em uma tenda montada no parque Hopi Hari, em Vinhedo (79 km a noroeste de SP). Também gravou um curta-metragem e fez shows em boates de Londres (Inglaterra) e Colônia (Alemanha), onde divulgou suas paródias musicais.

De volta ao Brasil, Silvetty aproveitou para tirar sarro de suas aventuras pela Europa, em apresentação na boate "A Lôca". Nesta semana, ela estreou o musical "Segundas Acontece", ao lado de seis drags, no Café Concerto Uranus (r. Carvalho de Mendonça, 40, tel. 3822-2801). No show, apresentado às segundas-feiras às 21h (R$ 20), ela satiriza a apresentadora norte-americana Oprah Winfrey.

André AlmadaAndré FischerCelso KamuraClodovilClovis CasemiroDavid BrazilGilberto BragaLuiz MottSilvetty MontillaCarlos Tufvesson

Leia mais
  • Lista revela os 10 gays mais poderosos do Brasil

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre destaques GLS
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página