Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
17/05/2007 - 16h20

Marcão e Champignon se defendem em "treta" do Charlie Brown Jr.

Publicidade

da Folha Online

O guitarrista Marcão e o baixista Champignon se defenderam hoje das acusações de que estariam usando o nome da banda Charlie Brown Jr., na qual tocaram por 15 anos, indevidamente no exterior.

Segundo a Folha Online apurou, chegou aos ouvidos de Chorão a informação de que Champignon e Marcão fizeram três shows em cidades norte-americanas no fim de abril. A gravadora do grupo, EMI, divulgou nota afirmando que "tem contrato de exclusividade firmado com o grupo conhecido por Charlie Brown Jr." e que "a menção da marca, no Brasil e fora dele, da forma que for, é expressamente proibida, sujeitando quem a utilize as sanções legais cabíveis".

Divulgação
Champignon toca no Revolucionnários
Champignon toca no Revolucionnários
Marcão (Marco Antônio Britto Jr.) e Luiz Carlos Duarte Jr. (Champignon) fizeram três shows nos Estados Unidos, nos dias 26 (Miami), 28 (Nova York) e 29 (Boston), dentro de um projeto com o músico Marcelo Bonfá (ex-Legião Urbana). A produção ficou sob responsabilidade da empresa Ipanema Productions, de propriedade de Alexandre Ramos, que também divulgou um comunicado sobre o assunto.

"Nunca permitimos ou permitiríamos que um show nosso fosse vendido como uma banda de que não mais fazemos parte, pois seria um desrespeito a nós e ao público", dizem os músicos.

Divulgação
Marcão mantém atualmente a banda TH6
Marcão mantém atualmente a banda TH6
Os dois explicam que foram convidados para participar do projeto Rio-Santos, que terá continuidade no Brasil (veja vídeo no YouTube), e que não são responsáveis pelo material promocional do show.

Segundo a nota, a divulgação do evento utilizou as expressões "Marcão e Champignon (ex-Charlie Brown Jr.) e Marcelo Bonfá (ex-Legião Urbana)" ("como somos chamados pelo público", dizem os músicos). "Sendo assim, não vemos sentido na nota recentemente divulgada, já que sermos chamados de "ex" por terceiros é uma referência condizente com o passado de que muito nos orgulhamos.

Bruno Miranda/Folha Imagem
Chorão é líder do grupo Charlie Brown Jr.
Chorão é líder do grupo Charlie Brown Jr.
Sobre o repertório do show, eles afirmam que não há problema em tocar músicas da banda da qual saíram dois anos atrás. "Se o público pedir, é motivo de honra e não vemos motivos para indignação de qualquer parte. Afinal, somos autores de várias músicas de uma banda de que participamos durante quase 15 anos. Não existe lei que nos impeça de tocá-las, mesmo não sendo do nosso interesse, mas talvez sendo do [interesse] público."

De acordo com os músicos, a saída do Charlie Brown Jr. se deu em "comum acordo".

Atualmente, Marcão mantém o projeto TH6 e Champignon comanda o Revolucionnários, que já lançou um disco.

Material de divulgação

Alexandre Ramos afirmou em outra nota que os músicos não têm responsabilidade sobre o material de divulgação dos shows. "Em nenhum momento eles cogitaram, sugeriram ou nos venderam um show para tocar as músicas de seus antigos trabalhos, havendo, de nossa parte, assunção total da responsabilidade pela produção dos shows", afirma o empresário.

"Toda a mídia que envolveu o evento jamais vendeu a promessa de que a banda Charlie Brown Jr. estivesse nele presente, até porque não era essa a nossa intenção. Quem diz ou disse que divulgamos nosso evento dessa forma só pode ter uma cabeça doentia e irresponsável", destaca Ramos na nota.

Leia mais
  • Confira o que disseram Marcão e Champignon, ex-Charlie Brown Jr.
  • Ex-Charlie Brown Jr. são acusados de usar nome de banda nos EUA

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre o Charlie Brown Jr.
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Fogão Fogão De diversas marcas a partir de R$ 358,20

    Notebook Notebook Windows 8, LED, Intel" Core a partir de R$ 799,00

    Home Theater | Tênis | Mais...

    Voltar ao topo da página