Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/08/2003 - 09h58

Consulta médica à distância é realidade polêmica

DUDA SALVATO
da Folha de S.Paulo

Alguns sites internacionais estão tentando resolver o problema de quem acorda passando mal e não tem condições de procurar um médico. Esse é um dos itens mais polêmicos que a união da medicina à internet discute, principalmente pelo risco e a utilização indevida do meio para fins de tratamento.

O site português www.mni.pt/sam (grátis durante três meses e custo de 5 por ano) oferece consultas on-line com um ou mais médicos, distribuídos por especialidade. Porém o termo de responsabilidade existente deixa claro que o atendimento não deve ser encarado como substituto de uma visita médica tradicional.

O procedimento de consulta virtual pelo doente é, na maioria dos sites médicos, muito simples: digita-se um nome (que não necessita ser o verdadeiro), por vezes o endereço de e-mail e relata-se a queixa.

Tirando vantagem da onda de medo causada pelos ataques de 11 de setembro, o www.online-ambulance.com informa o internauta sobre como se proteger e se cuidar de acidentes químicos e biológicos. O acesso aos ensinamentos, contudo, custa US$ 11 por uma resposta em cinco dias ou US$ 19 para consulta em 48 horas. O site também promete fazer consultas por ICQ ou Messenger. O valor da rapidez é de US$ 38.

Já o australiano Doctor-on-line (www.doctor-on-line.com.au) atende pacientes registrados em seu próprio plano de saúde.

O Doctor On-line (members.rediff.com/doctoronline) é ainda mais ousado e oferece um check-up completo pela internet. Vários órgãos como coração, pulmão e sistema urinário podem ser "checados", porém a análise são perguntas superficiais, que quase sempre indicam como resposta que o melhor caminho a ser seguido pelo internauta é procurar um médico "de verdade".

No North East Valley Division (www.nevdgp.org.au/index/indxframes.htm), podem ser obtidas informações sobre qualquer doença existente; há ainda descrição de sintomas, diagnósticos e tratamentos para quase todas as moléstias.

Já no www.liposuction.com, a especialidade é a lipoescultura. O site é bastante completo e apresenta informações sobre essa técnica cirúrgica. São mais de cem itens que incluem a descrição da cirurgia, procedimentos básicos, fotos e vídeos. Um dos pontos que chamam a atenção no site é a consulta à longa distância (www.liposuction.com/how_long_distance). A página lista uma série de procedimentos que devem ser realizados pelo paciente e depois enviados ao médico. Com a consulta, o site também fornece a forma de pagamento e o local de estadia, caso o paciente esteja em outra cidade e necessite de intervenção médica.

Além disso, para quem procura um médico "de verdade", a internet pode ser usada como uma ferramenta eficiente. O site da American Medical Association (www.ama-assn.org/aps/amahg) traz uma lista de mais de 690 mil médicos atuantes nos Estados Unidos. A busca é extremamente eficiente: há mais de 30 especialidades. Basta fornecer o Estado, a cidade e o CEP para ver uma lista com os médicos mais próximos da casa do cidadão.

O site oferece uma relação de médicos ordenados alfabeticamente, com suas páginas particulares. No entanto cuidado é o melhor a fazer antes de consultar a web para fins médicos. Garanta a sua saúde e não confie somente no que os portais fazem por você.

Confira dicas e recomendações

Ao vivo - Nenhuma consulta on-line descarta uma visita pessoal ao médico, pois só uma avaliação meticulosa poderá diagnosticar algum mal;

Biblioteca - Sites de medicina on-line são excelentes para esclarecer dúvidas conceituais, como o que causa uma doença;

Intuição - Médico não é adivinho. Um sintoma qualquer pode ser de um simples resfriado a uma doença grave. Só um especialista pode identificar a doença por uma consulta "ao vivo";

Prescrição - Jamais tome nenhum medicamento prescrito por páginas de medicina on-line. O que pode ser a solução para um pode matar outro;

Prevenção - Não peça informações ao médico virtual sobre remédios. Ele não tem capacidade de saber, à longa distância, se o medicamento é o mais indicado;

Credibilidade - Os sites de sociedades médicas tendem a ser mais confiáveis do que páginas pessoais

CFM - Informe-se no Conselho Federal de Medicina -www.cfm. org.br- se o médico que fornece consulta virtual possui registro;

Especialidade - Em páginas especializadas em alguma área, procure referências do médico no site da associação, por exemplo, em www.reumatologia.com.br, para doenças reumáticas. Porém nem sempre o registro profissional significa que o site é ou não confiável.

Leia mais
  • Sites médicos brasileiros demoram para dar resposta
  • Cirurgias pela internet já são possíveis
  • Médicos virtuais dão Viagra para cardíaco
  • Sites vendem remédio livremente pela internet
  • Conselho Federal é contra a venda on-line de medicamentos
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página