Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/08/2003 - 10h36

E-mail confirma hipótese do "mundo pequeno"

SALVADOR NOGUEIRA
da Folha de S.Paulo

Quantas pessoas precisam ser contatadas para que você envie um recado a Osama bin Laden pela internet? Provavelmente sete, dizem sociólogos americanos. Um experimento feito on-line com mais de 60 mil voluntários acaba de corroborar a famosa hipótese do "mundo pequeno", segundo a qual uns poucos elos de ligação separam uma pessoa de qualquer outra no mundo.

Na vida cotidiana, volta e meia se constata esse fenômeno. Numa festa, não é incomum ser apresentado a alguém que, por coincidência, estudou com um outro amigo seu na faculdade. Essas descobertas normalmente vêm com alguma surpresa, seguida pela velha frase: "Como esse mundo é pequeno". É mesmo.

Em 1967, Stanley Milgram foi o primeiro a levantar a hipótese, sugerindo que as pessoas são ligadas por pequenas cadeias de elos sociais, em média com seis graus de separação. Mas fazer testes com redes sociais não é muito fácil. Ou melhor, não era. Com a ajuda da internet, o grupo liderado por Duncan Watts, da Universidade Columbia, nos EUA, conseguiu realizar o estudo mais detalhado de uma rede social global já feito.

Os resultados saem publicados hoje na revista americana "Science" (www.sciencemag.org).

A premissa do experimento é simples. Os voluntários se cadastraram no site do grupo e então foram desafiados a alcançar um "alvo" --uma pessoa que não conheciam, mas deveriam tentar contatar. Para isso, tinham direito a enviar um e-mail para uma pessoa conhecida que julgassem estar mais perto do alvo do que eles. O processo seguia adiante até o alvo ser atingido ou o último contatado interromper a sequência.

No total, mais de 60 mil pessoas participaram do experimento. Os pesquisadores constataram que, em média, cinco a sete passos eram exigidos para atingir um alvo, confirmando a antiga idéia de Milgram com dados mais sólidos.

O que mais surpreendeu os pesquisadores foi a relação entre as tentativas bem-sucedidas e a crença dos participantes de que poderiam ter sucesso. "Se você pensa que o mundo é pequeno, então ele é -é uma profecia que se cumpre automaticamente", disse à Folha Peter Dodds, um dos idealizadores do estudo.

Embora o mais interessante aqui pareça ser o lado pitoresco, Mark Granovetter, pesquisador da Universidade Stanford que não participou da pesquisa, afirma que há um lado importante.

"Quando a polícia ou as agências de inteligência estão procurando espiões ou criminosos, estão ativando uma rede e procurando um atalho que as conecte ao alvo. Quando as pessoas procuram um trabalho, a mesma coisa", diz. "Há muitas situações em que precisamos entender os processos da rede social que fazem o mundo pequeno ou não tão pequeno, e essa linha de pesquisa nos dá dicas de como estudar isso."

O grupo agora está realizando uma nova edição do experimento. É possível participar visitando o site smallworld.columbia.edu.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página