Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
15/09/2003 - 13h35

Novo Speedy terá tráfego limitado, mas preços mais acessíveis

Publicidade

FERNANDA K. ÂNGELO
da Folha Online

A Telefônica modificou os modelos de oferta de seu serviço de internet por banda larga. Batizado de Novo Speedy, ele limitará o tráfego mensal dos assinantes em 3 GB, 10,5 GB ou 15 GB, de acordo com o pacote escolhido.

Manoel Amorim, diretor-geral da Telefônica no Brasil, diz que "a mudança visa saltos maiores no desenvolvimento da banda larga". Segundo ele, a única maneira de evoluir era tornando o serviço mais acessível.

Inicialmente, a idéia de ter o tráfego limitado causa pânico nos usuários. No entanto, quando se analisa com calma as modificações, os assinantes não devem sair perdendo com a mudança --pelo menos a grande maioria deles.

Segundo levantamentos feitos pela Telefônica, a média de tráfego trocado pelos usuários é de 3 GB mensais.

O que está acontecendo atualmente, explica Amorim, é que 5% dos usuários do Speedy são responsáveis por 60% de todo o tráfego do serviço. Assim, eles são onerosos para os outros 95% dos internautas. "Poucos usam a infra-estrutura paga por muitos", diz.

A meta da empresa é encerrar 2003 com 500 mil usuários de seu serviço de banda larga.

Como era e como fica

Atualmente, segundo Fabio Bruggioni, diretor de negócios de internet da Telefônica, 92% dos 400 mil usuários do Speedy assinam o pacote de 256 kbps (Kb por segundo). O desembolso mensal desses internautas --incluindo aluguel de modem e provedor-- varia de R$ 110 a R$ 124.

Com a mudança, eles terão três opções: o Novo Speedy 300 kbps, 450 kbps ou 600 kbps. "De qualquer forma, eles já terão maior desempenho", destaca Bruggioni.

O primeiro pacote limita o tráfego do usuário a 3 GB por mês. Aqui ele gasta aproximadamente R$ 95 mensais.

Já o usuário que optar pelo Novo Speedy 450 terá direito a 10,5 GB de dados por um valor mensal semelhante ao pago atualmente pelo assinante do pacote de 256 kbps. O desembolso mensal neste caso varia de R$ 118 a R$ 127.

E para se ter uma idéia de quanto significa 10,5 GB de dados, esse volume é mais do que a soma da visita a 30 mil páginas de internet, o download de mil músicas, 72 horas de game on-line, download de cerca de 500 programas e troca de 4.000 arquivos de texto, entre outros.

O Novo Speedy 600 limita o tráfego a 15 GB, e custa em torno de R$ 195.

A Telefônica também anunciou que começará a vender o modem --até então apenas alugado, por R$ 16 mensais.

Além da opção de aluguel, os assinantes poderão pagar R$ 149 em três, seis, nove ou 12 vezes. Para os que já são assinantes, o valor é de três parcelas de R$ 16.

Custo extra

Com relação ao tráfego excedente, serão cobrados R$ 0,10 para cada MB adicional --isso pode significar R$ 100 para 1 GB excedente. O excesso não será cobrado durante os três primeiros meses do serviço, de acordo com a Telefônica.

Mesmo assim, vale a pena avaliar cuidadosamente qual plano tem melhor relação custo-benefício. No site do Speedy, a empresa disponibilizou uma calculadora de tráfego.

Nada muda

Pelo menos até que a empresa decida extinguir o serviço, os atuais assinantes do Speedy não são obrigados a migrar para os novos pacotes. Segundo a Telefônica, nada muda para esses assinantes.

Porém, Bruggioni espera que cerca de 80% dos atuais usuários migrem para a nova versão do serviço. "Eles só têm a ganhar. Se não migrarem, terão o prejuízo de pagar mais por menos."

Os que optarem pela mudança, de acordo com Bruggioni, podem fazer o pedido por telefone. O executivo diz que a migração é feita em 24 horas.

Acelerador

Outra novidade anunciada hoje pela Telefônica foi o Acelerador Speedy. A velocidade adicional (de até 1 MB) pode ser contratada on-line e em tempo real pelo usuário. O assinante paga R$ 4,90 por hora de acelerador.

Speedy Business

Para as empresas, além dos pacotes Novo Speedy 450 e 600, a Telefônica oferece o Novo Speedy 2 MB. Neste último, o tráfego é limitado a 50 GB mensais.

O valor dos pacotes é de aproximadamente R$ 170, R$ 250 e R$ 1.250, respectivamente. E o valor do modem para compra é o mesmo oferecido para os usuários domésticos.

Leia mais
  • Para Abusar, "usuários só saem perdendo com Novo Speedy"
  • Speedy ganha versão especial para condomínios verticais
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página